Popular Post

Posted by : Euphimea sexta-feira, 6 de julho de 2012





O pessoal gritava: Mais um! Mais um! O pai de Nathaniel levantou o braço e Lysandre correu para falar com ele e depois voltou falando algo no ouvido de cada um na banda.
- Vamos cantar  uma música no nosso idioma. - avisou deixando-nos curiosas.
Então para nossa surpresa Castiel tirou a guitarra e entregou para Ly que a pendurou nos ombros. Pareciam que iriam trocar de lugar. Então, o lindo anjo negro de cabelos avermelhados agarrou o microfone e começou a cantar. Jennaah caiu dura no chão e corremos para acudila.
- Amiga, aguenta amiga. - falava com ela inconciente. - Olha! O Castiel tirou a roupa! - gritei brincando e ela acordou na mesma hora.
- Aaaahhhh! Onde?!
Voltamos a assistir o show e ele pulado no palco de um lado a outro com aquele cap caindo no rosto o deixando muito sexy. Pobrezinha da minha alma, foi levada por um matador lindo!
video


"Fortes Sombras em minha mente,levando quase a loucura
Quem sou eu? Conduzindo a luz da Lua
Vento escuro agradável,deslumbrante céu brilhante
Mas ainda assim anseio pelo por do Sol
Sombras e luz, você e eu, nos aproximando
Perguntando o que é real ou falso
Preto? Branco? Por quê? Por quê?
Meu coração grita e canta,
"Seja uma cor que combine com você!"
Queimando ferozmente no céu noturno, Orion! As chamas de seu coração,
Esse é o jeito que tem que ser, e é assim que você deve viver!
Mal e ruim, palavras bonitas,você devia confiar inteiramente em seus problemas
Sindrome de Gêmeos
Não há mais calor em seus lábios esta noite
Onde está o amor? Me abrace forte até o amanhecer!
Lábios de anjos que são somente meus.
Por quê isso é impossivel? Coração de Demônio.
Oh, O doce aroma da fruta está transbordando!
Ambição, desejo, desespero, esperança ... Tudo isso,
O balanço do pêndulo entre eles, deve brilhar
Talvez hoje, amanhã, e por toda minha vida eu estive perdido,
Mas ainda duvido seriamente da verdade.
Um buraco negro que atrai todos os sentimentos, amor e sonhos também
Mesmo se eu conseguir todas essas coisas que eu quero, elas vão desaparecer em breve
Eu sei a resposta do porque termos sempre lutado!
Liberte seus sonhos!
Amadurecendo, crescendo mais forte, fervendo, avançando...
Esses olhos gritam e cantam,
"Seja uma cor que combine com você!"
Queimando ferozmente no céu noturno, Orion! As chamas de seu coração,
Esse é o jeito que tem que ser, e é assim que você deve viver!
Assim como sempre eu lamento, eu vou continuar procurando entre as minhas dúvidas
Síndrome de Gêmeos!
Mal e ruim, palavras bonitas,você devia confiar inteiramente em seus problemas
Eu tentarei acreditar em seus sonhos!
(I´ll fuck ya!)
Eu não consiga tirar os olhos de Castiel, pois Nat como baterista ficava ao fundo. Ele também estava lindo, mas o Castiel não sei... ele tinha uma senxualidade, talvez por parecer o Axl com aquele cabelo ruivo.
Quando a música acabou gritos inundou o local. Castiel pegou a sua guitarra de volta e o povo pediu mais um. Eles riram. Estavam agradando o público. Eliéser ficou no teclado. Lysandre olhou para o pai de Nathaniel que assentiu com a cabeça e ele começou a cantar:
video

"Ah, lhe trago apenas para você
Este som do vento.
Sentindo o coração ..
Não chore mais, pode ficar como está.
Olhe para o céu.
Ah, meu amor mais doce ...
Azul, essa lágrima que percorre
A sua face com um brilho azulado.
Levante-se, conheça a luz
Que marca sempre o amanhã.
Verdade, Talvez você não
Se conheça tão bem ainda.
Mas essa lágrima se transformará
Num arco-íris e guiará você.
Se tiver frio durante essa longa viagem,
Ah, cantarei uma música para a aquecer.
Talvez nem todos os seus
Desejos se tornem estrelas.
Mas se tiver um sonho em que acredita,
Ele se tornará em milhares de estrelas,
As jóias mais brilhantes do céu noturno". 
- Valeu galera, esse é o som da banda LANCE. Fui! - disse Lysandre assim que acabou a música.
Sairam e as cortinas abaixaram. Perfeito! Digno de profissionalismo. Olhei para o pai de Nat e ele estava satisfeito. Logo os meninos sairam por uma porta lateral ainda vestidos de soldados. Nat foi falar com o pai que deu tapinhas na as costas orgulhoso. Então aquela criatura alta, de cabelos de fogo se aproximou de nós. Eu senti como se tivesse levado um tiro no peito. Jê ficou toda vermelha agarrando o meu braço. Pensei que ela iria desmaiar de novo, mas aguentou firme.
- E então meninas gostaram? - indagou passando os olhos rapidamente por cada uma.
- Sim! - exclamamos eufóricas. Eu já tenho uma queda por homens fardados e Castiel ali na minha frente fez-me corar.  E ele percebeu é claro. Quando meus olhos se encontraram com os seus eu os baixei na mesma hora.
- Ei, Euphi! - chamou-me Nat todo euforico correndo para nosso grupo. Ah! Outro fardado! Socorro! Alguém chama a ambulância! Acho que estou passando mal!
- Sim, Nathaniel-senpai.
- Quero lhe apresentar para o meu pai.
- Quê! - exclamei assustada. E ele pegou-me no meu braço e saiu me puxando enquanto eu olhava para trás fazendo um cara de " por favor me salvem" e Castiel nem preciso dizer que ficou furioso.  Quando chego lá, Ambre jogou o cabelo para trás e deu-me as costas cruzando os braços fazendo cara de metida.
- Pai esse é a Euphimea-kun da minha escola.
- Essa que você vive falado? - indagou tentando ser simpático. Eu o cumprimentei curvando.
- Prazer em conhecê-lo.
- Você tem razão meu filho. Sua namorada é linda. - elogiou e eu corei na mesma hora exclamando:
- N-namorada! - ele sorriu e passou a mão no meu ombro. Curvei para a mãe dele cumprimento e saindo junto com o Nathaniel. - Desde quando eu sou a sua namorada?! - ele corou envergonhado e explicou-me:
- É que eu sempre comento de você pra ele e então essa conclusão chegou sozinho. Mas não deixamos de ser não é Euphi? - e nisso me deu um selinho tirando o cap. Meu Deus! Na frente de todo mundo!
Eu não tive coragem de dizer pra ele que não somos namorados.
Depois voltei para perto das meninas que gritando eufóricas falaram que viram do meu beijo com ele. Quando olhei pra Castiel, este fechou a cara e me ignorou completamente saindo para falar com Lysandre que já estava grudado na orelha de Ambre.
- Que gracinha esse seu beijo com Nathaniel! - exclamou Kelly feliz corando e me fazendo corar ao mesmo tempo.
- Ele gosta muito de você! - comemorou a Jê sorrindo.
- Gente vamos parar que eu estou sem graça.
- Grr... - rosnou Anny com uma aura negra assassina. Ela encarava Ambre e Ly.
- Credo! - assustou-se Carol. - Parece que você vai matar alguém!
- Vou matar aquela lambisgoia se não sair de perto do meu Lysandre!
Então olhamos para eles e Ambre saiu de perto dele com o nariz em pé para se juntar com sua amigas o ignorando.
- Bem feito! - comemorou Anny já aliviada. - Foi a macumba que joguei nela.
Então Ly sentiu que o olhávamos e com um sorriso se aproximou. Assim que chegou perto Anny corou na mesma hora.
- Olá meninas! Gostaram do show?
- Claro que gostamos! - exclamamos. Não sei o que a doida da Anny iria fazer, mas pela cara dela coisa boa não era. Então de repente levou os braços para o pescoço de Ly o puxando para baixo com o peso do seu corpo e deu um beijo nele.

- Quê! - exclamamos chocadas. Ele também ficou muito assustado e para a sorte dela correpondeu o beijo.  Pois do jeito que ele era metido poderia ter empurrado-a. Seu chapéu voou para o chão.
Depois do beijo eles ficaram corados. Ly a pegou pela mão e foi conversar com ela. Ixi! O que será que ele iria dizer para ela? Ficamos observando, pois dependendo da reação dela saberiamos o que ele deve ter dito. Ele finalizou a conversa dando um beijo na testa dela. Logo ela vem com o rosto sério e as mãos para trás.
- E aí? O que foi que ele lhe falou? - indaguei morrendo de curiosidade. Ela abriu um sorriso de felicidade no rosto e respondeu:
- Disse que quer me conhecer melhor e que meu beijo é muito gostoso!
- Ele disse isso? - indagou Linda sem acreditar.  Ela afirmou com a cabeça toda corada e apertando os dedos.
- Mas eu vi você falar algo para ele. - disse já que eu tenho visão de águia.
- Eu disse para ele dar valor a quem dar valor para ele.
- Jura! - exclamou Kelly.
- Juro. - disse beijando os dedos em forma de cruz. Olhamos para ele que estava nos olhando. Anny virou para olhá-lo e este abriu um sorriso.
- OMG! Agora ele me matou! - exclamou com a mão no peito como se tivesse levado um tiro.
- Agora só falta você Jennah. - falou Kelly.
- Eu! Eu o quê?! - exclamou ela se fazendo de desentendida.
- Você e o Castiel! - explicou Kelly. Ela corou como tomate e a Anny falou:
- Um dia eu vou pegar vocês dois e vou trancá-los no armário! Só iram sair de lá quando resolver isso! Eu não aguento esse lenga, lenga de vocês.
- Mas... ele gosta da Euphi. - quis se justificar.
- Não me coloca no meio. - defendi-me. - Não posso fazer nada a respeito disso. Parece que quanto mais eu empurro ele para você, mas grudado em mim ele fica!
- E esses óleos pega homem que você passa. - brincou Anny.
- Eu?! - exclamei horrorisada. - Eles que vivem correndo atrás de mim adivinhando que eu não quero namorar.
- Eu quero ficar sozinha.  - comentou Aikka de repente.
- Duvido que você consegue! - exclamei um pouco irritada. - Eu tentei agora eu tenho Castiel, Jade, Nathaniel...
- Dimitry. - cortou-me Anny. Corei na hora.
- É mesmo o Dimitry! - lembrou Tati eufórica.
- Que horas têm? - indagou Linda. Procurei um relógio para ver era 21hrs ainda.
- Está cedo. - disse. - São 21hrs e para dar meia - noite vai demorar um pouco. 
- Quem quer ir para lá e esperar dá zero hora levante a mão?! - indagou Anny levantando a dela. Todas as meninas levantaram a mão e eu ao perceber levantei um pouco a minha. 
- Pronto está decidido. Vamos para lá e a Euphi vai chamá-lo para gente.
- Mas por quê eu?
- Ué! Só você encontrou com ele. 
Então lá fomos nós para o colégio. Oito meninas doidas, fantasiadas iriam invadir o local. 
Assim que avistei o portão já fui logo atravessando para o outro lado. Desse vez devagar para não cair. Entrei e corri para o corredor ascendi a luz. Fui até a sala de representantes. Ascendi a luz de lá também para pegar a chave do portão. Abri o armário que tinha as chaves penduradas com chaveiros de plásticos um de cada cor com um papel dentro. Olhei um por um até que encontrei "portão." Corri de volta e abri o cadeado para elas passarem comentando:
- Se Nathaniel me pegar estou frita! 
- Quem disse que ele irá saber, fofinha?! - brincou Carol. 
- Agora é só esperar! - exclamou Jenna anciosa. 
- Sim! - comemoraram. Eu não estava gostando muito da ideia e fechei o portão. Fiquei com a chave, mas fui apagar as luzes para não chamar atenção. 
Então esperamos em silêncio. De repente Anny levantou e começou a andar de um lado para o outro inquieta.
- Essa hora parece que não passa!
- Se a gente conversar passa mais rápido. - aconcelhou Aikka. 
- Vamos falar sobre o quê? - indagou Kelly.
- Podemos conversar sobre o show e como Castiel estava lindo.
- Desculpe Jenna. - pediu Anny. - Mas ele estava "tesudo" estava.
- Sim! - exclamamos a deixando corada.
- A Viollete que maqueou eles. - lembrou Linda.
- Como eu queria ser ela! - exclamou Kelly. 
- Com certeza. - concordando preocupada com invasão colegial. 
- Todos estavam lindos de militar! - exclamou Tati. Concordamos com ela e assim as horas voaram. Vi a hora no meu celular e era 00: 20hr! 
- Gente, já são 00:20hr avisei surpresa.
- Não disse. - falou Aikka.
- Vai lá mulé chamar o vampiro! - exclamou Anny com a sua impaciência.
Fui andando para o corredor com um pouco de medo e fiquei parada. Logo uma luz azul começou a iluminar o local. Meu coração estava acelerado. Então senti alguém atrás de mim e sussurrando no meu ouvido:
- Oi Euphi-chan. - eu pulei até o teto e voltei. Quando me viro vejo Dimitry sorrindo. Lá estava seus caninos que perfuraram meu pescoço.
- Oi Dimitry. - cumprimentei e comecei a brigar com ele: - Como você deixa um chupão no meu pescoço criatura?!
- Chupão? - indagou confuso. - O que é isso?
- É uma marca roxa deixada no pescoço para envergonhar as moças. Para os rapazes saberem que temos "dono."
- Que coisa horrível! - lamentou ele. - Assim que os homens do seu mundo tratam as mulheres?
- B-em... - gaguejei sem graça. - Nem todos.
- Pode ter certeza que eu não dei "chupão" nenhum em você.
- Então o que é isso? - ingaguei tirando a gargantilha e mostrando as marcas para ele.
- Isso? É normal. - respondeu sincero. - Eu furei você então fica roxo mesmo. - e com isso deu um beijo no meu pescoço delicadamente me fazendo arrepiar. - Pronto vai passar.
- Ei Euphi! - gritou Anny. - Como é?! O Dimitry está aí ou não? Está agarrando ele?!
Fiquei coranda e assustada com o seu jeito safado de falar. E Dimitry ficou feliz:
- Trouxe suas companheiras.
Curioso saiu andando e eu o segui. As meninas olharam surpresas e com os olhos maior que a cara. Conforme eu ia apresentando-as  ele pegava a mão uma por uma e as beijavam cumprimentando-as dizendo "encantado" deixando-as coradas.
- Olá meninas. - cumprimentou com um sorriso.
- Você é um vampiro de verdade? - indagou Carol ainda sem muito acreditar.
- Quer alguma prova disso? - respondeu aproximando os olhos dos dela a deixando corada. Ela constatou que a cor dos olhos dele eram vermelhos como sangue, primeira prova que era um vampiro.
- Dimitry suga o meu sangue. -pediu Carol.
- Não Dimitry o meu. - disse Tati puxando a irmã. Então foi um négocio de "Dimitry suga o meu sangue" entre elas que ele deve ter pensado que essas meninas são doidas.
- Ôh! Como vocês são generosas! - exclamou feliz. Uma gota gigantesca caiu na minha cabeça. - Podemos conversar primeiro? - pediu.
- Mas que vampiro mais enrolado! - irritou-se Anny. - Vampiros não têm esse de conversar não, sai atacando logo!  - Ele fechou a cara com o comentário dela.
- Anny, o Dimitry ele não é assim. - o defendi. - Ele é muito gentil. 
- Obrigado Euphi-chan. - eu corei. Então ele contou sua triste história e as meninas ficaram comovidas. - Eu ficaria feliz se uma de vocês voltasse amanhã.
- Todas nós voltaremos amanhã, depois de amanhã, semana que vem. - brincou Anny com seu jeito impaciente. 
- Vocês voltam mesmo? - indagou emocionando-se.
- Claro! - exclamaram eufóricas. 
- Que bom. - ficou feliz. - Eu devo escolher uma de vocês hoje e amanhã. - disse um pouco sem jeito. - Gostei de todas vocês.  Elas pareciam apreensivas. Então Dimitry escolheu Jenna para aquela noite e Anny para o dia seguinte. Minha amiga roqueira corou como pimentão. Então ainda ficamos, as meninas curiosas queriam vê-lo mordê-la, mas sem graça pediu entregando o lenço para ela retirando-o do bolso:
- Eu fico constrangido com todas me olhando. Não quero que vejam uma coisa abominável como essa. - e virando para mim disse: - Euphi... vai para casa que quando acabar aqui eu levo sua amiga pra lá. 
- Tudo bem. 
- Aaaaaahhh! - protestaram elas tristes.Assim mesmo pedi para elas saírem que eu tinha que fechar o portão e devolver a chave. Quando voltei Dimitry fez a mesma com a Jenna o que fez comigo. Ela corou muito mais do que eu. 

Fiquei parada olhando assustada, pois quem está de fora é estranho. Ela o agarrou com força as suas costas.  Como não quis aborrecê-lo sai passando entre as grades e me dirigir para o apartamento.
Fui tomar banho e me arrumar para dormir. Fui pra a cama e vi Dimitry colocar Jê na cama, corri para ela e perguntei.
- Está tudo bem? 
- Sim. - sorriu e respirava ofegante. Dimitry fez uma cara de "me desculpe." E ela completou: - Não sabia que doía tanto.           
- Vai dormir amiga. Amanhã essa tontura irá passar.
No dia seguinte, domingo, acordei e deixei Jenna dormindo para se recuperar. Acho que acordei muito cedo, pois quase não tinha ninguém no restaurante para o café. Acho que as meninas ainda estão dormindo. Chantilly me acompanhava enchendo-me de perguntas:
- Como vocês estão namorando se ele não pediu? Esquece esse Nathaniel, Euphi! O Jade é bem melhor. Como que a Jenna deixou o Dimitry a morder? Vocês são loucas!
- Não sei Chantilly. - falei mostrando que não estava afim de responder.
Resolvi dar um volta pela cidade. Passei em frente a uma danceteria que dizia. "Nova dance house, abrirá fim de semana que vem!" Nossa, que legal! Continuei andando. Quando vejo do outro lado da rua um cabelo vermelho que se distacava no sol. Não acredito! Atravessei a rua correndo e assim que cheguei na praça parei de correr. Castiel estava sentado em um banco de concreto com o olhar perdido.
- Posso me sentar? - indaguei com a voz fofinha atrás dele. Este levou um susto, pois perdeu-se em pensamentos. 
- Euphi! Que susto! - exclamou furioso se levantando assim que eu me sentei. 
- Ah não Euphi-chan o que você quer com esse grosso? - protestou Chantilly. Fingi que não ouvi e levantei indo atrás dele.
- Castiel-kun... o que houve? 
- Não é da sua conta! - "delicado!"
- Oi Euphi! - cumprimentou-me sua fada. Abanei a mão para ele e quando Casti vira eu coloquei a mão na cabeça disfarçando.
- Você ainda está aqui?! - rosnou. 
- Vim conversar com você, mas parece que está de mal humor. Será que dá para ser mais gentil?
- Por que deveria? Vai lá ficar com o seu namoradinho!
- Ah! Está com ciúmes de novo. - falei o fazendo ficar corado. Tentou esconder de mim, mas eu não deixei olhando para ele abaixando a cabeça e tronco. - Que gracinha! - disse com voz fofa. 
- Meus pais estão se divorciando. - confessou de repente.
- O quê?- indaguei chocada. - Eles já vivem viajando e agora vão divorciar! - olhei para ele e percebi que prendia o choro. - Vem cá. - chamei-o pegando pela sua mão e voltando para o banco. Sentamos e puxei a cabeça dele para o meu ombro. Castiel enfiou o rosto no meu pescoço e começou a chorar silenciosamente   enquando e passava a mão nas costas dele tentando acalmá-lo. Dizem que homens não choram, mas ali na minha frente o cara mais duro da face da Terra, chorava. 
Quando terminou enxugou os olhos passando a mão e ordenando:
- Não conte pra ninguém sobre isso.
- C-claro! - exclamei gaguejando. Eu não queria encrenca com Castiel nem que a vaca tossisse. - Está melhor?
- Um pouco. - respondeu. 
- Que bom que vim aqui falar contigo! - tentei animá-lo, porém foi em vão. E então...




  



{ 3 comentários... read them below or Comment }

Por favor não me cobrem quando irei postar.
E por favor respeitem as opiniões e não comentem coisas que podem ser construtivas, pois elas soam como critica.
Obs: Essa ideia é protegida pela lei 9610 de 19/02/1998, qualquer cópia ou rescrição da mesma como plágio, repete a punição conforme consta em lei.
Ou seja, eu sou a criadora, eu sou a única dona.

- Copyright © Amour Glacé - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -