Popular Post

Posted by : Euphimea sábado, 7 de julho de 2012

RETIFICAÇÃO (CORREÇÃO) DA POSTAGEM!!!

Ele me pegou de surpresa com aquele selinho deixando-me corada! Com aroma de menta! Virei o rosto para o lado enquanto ele ria da minha cara de sem graça. Sentou de frente para mim com uma perna de cada lado do banco de concreto como se estivesse em uma moto.
- Você adora me deixar sem graça.
- Sim! É muito legal! - continuou rindo.
- Bom... pelo menos eu fiz você sorrir. - então ele parou e concordou comigo.
 - Olha... não sou fracote. - se referia do choro dele.
- Eu disse alguma coisa?
- Então esquece. - pediu fazendo um movimento com a mão jogando para trás. Fez silêncio por algum tempo e  então disse de repente me olhando de cima pra baixo: - Está muito fru, fru com essa roupa rosa, mas gostei do chapéu e da bota. 
- E quem disse que eu me vesti para agradar você? - disse irritada. E ele disse olhando-me nos olhos:
- Assim vou ficar mais ligado na tua.
- Hã? - eu não entendi nada.
- Oi? - brincou me imitando. - Se não entendeu não vou repetir.
- Eu entendi. Não entendi que primeiro você critica a minha roupa e depois diz que por causa dela você "fica ligado na minha." Não sou roqueira nem nada.
- Eu não disse com relação a roupa sua lerda! - explicou irritando-se. - Você tem que prestar mais atenção quando falo! - apertei os olhos me concentrando ao máximo e ele disse ainda irritado: - Não precisa fazer essa cara!
Castiel respirou fundo, revirou os olhos e começou a se abrir comigo. Eu não teria outra chance igual aquela na vida. Meninas do Brasil, o que Castiel iria me contar é o tipo de menina que ele gosta. Portanto leiam com atenção.  
- Não é o fato de ser roqueira que irá me agradar. Aquela sua amiga que é roqueira não faz dela algo interessante.  Existe coisas nela que eu não gosto.
- O quê, por exemplo?
- A timidez dela... de ficar se escondendo atrás de você... parece sua sombra.
- Acho que é porque ela gosta muito de você. E esse é o jeito dela, mas se você a conhecer melhor tenho certeza que irá gostar. - foi a deixa de eu empurrar ele para ela.
- Gosto de meninas com atitude como você, Euphi-kun.
- Ah é? Que mais... me conta. - disse toda interessada o fazendo corar.
- Só estou dizendo para você cair na real e largar de vez aquele almofadinha.
- Sim! Vamos deixar o almofadinha de lado e continuar com essa conversa que está muito interessante. - ele sorriu e disse:
- Está vendo? Você concordou comigo de um jeito muito maneiro. Tipo... não fez para me agradar. Não gosto de meninas assim. Se eu falo que você está mal vestia e disser para mim " e daí" eu fico ligadão, mas se tipo... começar a chorar perto de mim, já não dá. Se você tem problemas emocionais vai se tratar primeiro.
- Mas você já me viu chorando! Eu sou um pouco chorona.
- Ah isso é verdade, mas você suporta tudo sozinha. Isso é bacana. E aquele lance do banheiro, foi o máximo!
- Você gosta que eu me ferre? - eu perguntei para ele falar, mas já sabia da resposta.
- Claro que não idiota! O lance foi que você se virou sozinha. Aceitou a punição na boa. Também aquele flamingo rosa... - eu comecei a rir, pois ele se referia da Ambre.

- Flamingo! Essa foi boa! Hahahahah!
- Claro! - se empolgou abrindo um sorriso. - Magra, alta e toda rosa! Tem que ser um flamingo mesmo.
- Estou sabendo que ela gosta de você. - disse para atiçá-lo.
- Fala sério Euphi-kun! Sou mais você. - confessou. - O perfume dela é muito doce, me enjoa. O seu é mais suave. Suas roupas não são tão de paty... se bem que esse rosa tá parecendo uma Barbie. Agora a roupa de ontem, meu irmão! O que foi aquilo? Deu-me um "stir" de arrepiar! (tradução do inglês para o português: atiçar, excitar, mexer, avivar etc. Castiel usou como uma gíria) Se você ficasse perto de mim mais 5 minutos eu lhe dava um "trato" ali na hora. ( trato aqui ele se referia agarrar, pegada) Corei com sua cara de safado mordendo o lábio inferior.
- Como você me diz uma coisa dessa, menino?!  Será que dá para parar de falar da minha roupa?! E tem mais uma coisa... Não gosto que você me chame de idiota. - disse aborrecida. - Lerda ainda passa, mas idiota...
- Maneiro. - sorriu. - Está vendo... tem personalidade. Você é forte Euphi e isso me deixa ligadasso!
" Pronto agora que ele não vai largar do meu pé".  Percebi que usava a pulseira que eu comprei para ele no dia dos namorados. E de repente veio a imagem dele de soldado e eu corei o deixando embaraçado.
- O que foi Euphi-kun? Está pensado em alguma coisa?
- Bem... acabei de me lembrar de você vestido de soldado e cantando Orion.
- Hum... - corou. - Gostou não foi?
- Sim... parecia o Axl Rose.
- Quem sabe agora você não larga aquele babaca riquinho e fica comigo.
- Como é convencido! - brinquei com ele o fazendo rir de novo.
- Outra qualidade que gosto. Garotas extrovertidas e que não se estressa com nada. Se estive enrrolada com algo eu acharei engraçado, mas se ficar estressada comigo, vai ficar estressada... ou vai tomar calmante.
Eu comecei a rir de novo e ele corou. Qualquer homem gosta que uma menina, que ele está afim, ria das piadas dele, mesmo que não tenha nenhuma graça, mas aqui as do Castiel são hilárias mesmo. Comparar a Ambre com um flamingo foi boa demais.
- E outra coisa, menina no meu pé... parecendo carrapato está afim de me ver a mil léguas dela. E fica insistindo com alguma coisa dá nos nervos, vai ficar falando com a minha mão. - o jeito dele é engraçado demais. Jamais imaginei que aquele nervosinho e assustador, fosse alguém tão legal. - "Castiel-kun, por favor me ajuda!"- disse fazendo uma voz tentando imita uma menina. - Ah, porra! Que saco, meu irmão! Fica choramigando no meu ouvido é dose. Quando eu digo não é não sacô! Se pedir com jeito uma ajuda eu ajudo na boa, mas vir chorando no meu ouviu, vai levar fora.
- "Saquei". - respondi usando seu linguajar balançando a cabeça que estava entendendo.
- Coisa que mais me irrita é mulher mandona. Ela não é minha mãe para mandar em mim.
- Haaaahhhahahahahahahahah! - cai na risada do jeito que ele falou engrossando a voz e virando para frente os olhos. Ele estava adorando eu me divertir com o modo como falava. Ficou olhando para mim serio longamente e corando. Quando parei de rir e enxugar minhas lágrimas novamente ele rouba-me um beijo deixando-me sem graça.
- Eu vou ver se a Jenna acordou, pois ontem ela não estava nada bem... - disse levantando, mas Castiel não me deixou sair segurando meu pulso com força fazendo-me sentar novamente.
- Porra, para de se preocupar com ela! Você está comigo cara! Pô... a gente nunca saiu junto! Deixa eu bater um "lero" contigo! - aborreceu-se,  então resmungou para si do que comigo: - Caralho, velho. A menina conversando comigo, legal, da gente tá na boa e do nada sai fora. Olhou para mim com cara de bravo.
- Tudo bem Castiel-kun, foi mal. - pedi falando seu idioma, pois depois de tudo que ele me disse não podia choramingar e o menino mandar eu tomar banho (isso porque sou educada e não digo outra palavra que começa com "c") Ele fez uma cara de "acho bom mesmo". E se aproximou de novo beijando, já que o outro eu não fiz direito querendo sair fora.
- Eu não acredito no que os meus olhos estão vendo! - exclamou uma voz irritadinha. Paramos de nos beijar e era a Ambre com suas amigas. Ai não! Era só o que me faltava! Tinha que encontrar essa vassoura logo agora?! - Pode separando vocês dois. - falou  metendo os braços no meio da gente e com isso chegamos para trás para ela não machucar nosso rosto. - Meu irmão é um tonto mesmo! Ele vai lhe odiar quando souber que a namorada oficial dele está aos beijos com o meu Castiel-kun.
- Desde quando eu sou seu? - indagou ele ironicamente.
- Castiel-kun, nós já conversamos sobre isso, meu amor. - disse fazendo uma vozinha que pela cara dele não gostou nenhum pouco.
- O que rola entre eu e a Euphi-kun é lance. E também não é da sua conta! - com isso passou o braço em volta do meu pescoço deixa-me vermelha.
- Pois fique sabendo que você tem mal gosto para querer essa horrorosa! Olha as roupas dela! Parece uma pantera cor-de-rosa! - disse debochando e fazendo suas amigas rirem. - Rosa não fica bem em você queria pois é morena, mas eu sou loira e fico melhor.
- E você "Ambrella" que mais parece um cabo de guarda-chuva, não estou nem aí que você não gosta da minha roupa, o mais importante é que eu tenho estilo. Uma coisa que você não tem, tá!- esculachei levantando  - ela riu ironicamente.
- Tenho certeza que Castiel-kun odiou essa roupa que você está usando. A minha blusa é decotada coisa que ele ama. - disse passando a mão no seu decote em "V".
- Se eu me vestisse igual uma piranha pode ter certeza que não somente ele como qualquer garoto iria gostar.  Você está passando a imagem para ele o seguinte: Por favor me peguem!  - ela ficou furiosa e Castiel riu bastante.
- Você não vai fazer nada Castiel-kun? Não vai me defender dessa mocreia? - indagou curvando o corpo com as lábios perto do dele. Este afastou um pouco, mas tentado, dando de ombros e respondeu:
- Desculpe, mas a Euphi-chan tem toda razão.
- Grrrrrr! - berrou ela dando um escândalo fazendo Castiel tampar os ouvidos com os dedos. - Fique com a sua assombração, Sa-ma-ra! Vou correndo contar para o Nathaniel quem é a namorada dele! - e saiu andando toda irritadinha com o nariz em pé.
Eu fiquei preocupada, agora o Nathaniel irá me odiar pra sempre. E Jade está sumido! Só me restou o Castiel de consolo. Só que estaria traindo minha amiga. Ai, Castiel com tanta menina no colégio você tinha que logo gostar de mim!
Se bem que depois do show de ontem estou começando a olhar para ele com outros olhos. Meu Deus que voz rouca era aquela!
- Se fosse outra menina tímida e chorona que precisasse ser defendida eu a deixaria sozinha aqui no banco. - começou o Castiel parando de ri. - A Ambre-kun me dar nos nervos e aquele grito dela me deixa surdo.
Eu estava sonhando acordada fazendo reprises do show.
- Ei, Euphi-kun! - chamou ele estalando os dedos na frente dos meus olhos.
- O quê?!
- Estava viajando.
- Ah, não é nada. - falei corando de novo.
- Euphi-kun abre o jogo. - ordenou. - Por um acaso está pensando naquele loiro azedo?
Pronto fiquei sem saída. Quando Castiel pergunta não dá para ficar enrolando. Se eu mentir e disser que sim, ele ficará furioso e se eu disser a verdade, vai achar que eu estou afim dele.
- Está se enrolando cada vez mais Euphi-chan. - disse Chantilly sentando no meu ombro. - O que você viu nesse cara?
- Sua voz rouca... - respondi para ela e ele estranhou aquilo. Então continuem respondendo: - Não sabia que você cantava tão bem. - Castiel corou. Que alívio, foi uma boa resposta.
- Ah, é. E o que mais? - indagou fazendo uma voz sensual caprichando na rouquidão. Aaaaaahhh! Estou arrancando os cabelos! Meu corpo se arrepiou violentamente. Minha carninha estava balançada.
- Também acho que você toca bem.
- Hum... e o que mais? - quis saber sussurrando aproximando o rosto do meu. Senti o calor do ar que saia da sua boca.
- Er... vamos mudar de assunto Castiel... - tentei desconversar mais não colou.
-  Tchu, tchu, tchu. - fez som com a boca em forma de biquinho e balançando o dedo de um lado para o outro na altura dos meus olhos, negando. Se ajeitou no banco sentando mais para frente e agora estava ainda mais perto. - Conte Euphi-chan. - sussurrou no meu ouvido direito. Ôh, Meu Pai! Não me maltrate. Eu já estava tendo "trimilique" porque ele usava uma calça jeans super apertada, um cinto vermelho, correntes passando por dois passadores e a outra ponta no bolso, uma regata preta mostrando seus braços definidos.  O cabelo cheirava a recém lavados e a pele a Axe. Ele sabia o meu ponto fraco direitinho, pois ficou passando as unhas nas minhas costas que eu dava cada arrepiada. Estava se divertindo as minhas custas isso sim.
- É... bem... deixa eu pensar... - gaguejava tentando disfarça que já estava ficando arrepiada.
- Não me enrola Euphi. - falou com a voz levemente aborrecida se impondo. Pronto! Completamente sem saída!
- Eu... não consigo... falar ... com você assim... tão perto. - disse implorando fazendo pausas, pois o danado beijava o meu pescoço do lado direito. Ainda bem, pois ele iria sentir as marcas do Dimitry do outro lado. Assim ele parou de fazer isso, mas continuou me olhando nos olhos. Como eu tenho medo desses olhos felinos! Parece que atravessa a nossa alma! - Você fica lindo de farda cantando e tocando com os braços de fora e a roquidão na voz seus olhos cinzas lembram um tigre que está perto de capturar a sua presa. Pronto falei. - respondi rápido sem pausa, sem respirar e sem rodeios.
- Ixi, se enrolou mais ainda Euphi. - comentou Chantilly sentada agora na minha perna, pois no ombro ela toda hora escorregava, porque eu não parava de me mover.
- Está arriadassa por mim, ei Euphi? - disse rindo e mordendo o lábio inferior fazendo cara sexual. - A única coisa que está lhe impedido de ficar comigo é sua amiga. - afirmou colocando a mão na minha coxa dando uma apertada forte.
- Não coloca palavras na minha boca. - disfarcei ainda corada tando um tapa na mão dele.
- Tudo bem. - falou brincando levantando as mãos.
Fiquei aborrecida de verdade me levantei e sair andando tentando o ignorar:
- Ei, foi só uma brincadeira.
- Brincadeiras têm limites, Castiel-kun.
- Foi mal. - disse ficando sem graça e eu cruzando meus braços. - Vem vamos conversar. - pediu me puxando pela mão e sentamos novamente num banco na sombra.
- Não tem mais clima Castiel-kun. - ele ficou aborrecido e me deu um beijo de leve, terno e carinhoso.
- Fique calma, tá bom. - pediu tentando ser gentil. Eu respirei fundo. Ele beijou minha mão mostrando que me respeitava. Depois de tudo o que ele me falou não podia dar um chilique igual a Ambre. Tentei fingir que ele não fez nada.
- Sua vez então magrela. - falou brincando tentando me fazer rir. Eu sou magra, mas não como a Ambre.
- O quê? - indaguei tentando não me aborrecer.
- Conte-me como é o menino que você gosta.
- Falar na sua frente! - exclamei morrendo de vergonha.
- Eu sou um cara reservado pra caramba e eu lhe falei. Se não vou lhe encher de beijos até dizer. - falou brincando e piscando o olho. Conseguiu me fazer sorrir.
- Tá bom, seu chato!
- Se descrever o Nathaniel eu vou ficar bravo. - brincou de novo.
- Como você é bobo! - brinquei com ele. - Gosto de rapazes que gostam de conversar, que tenha assusto e falam de tudo. Rapazes sérios, responsáveis...
- Certinhos. - cortou-me brincado.
- Não senhor. - protestei. - Ser responsável, não quer dizer "certinho". - então veio a imagem do Jade na minha cabeça. Ele percebeu que eu estava longe. E para chamar minha atenção deu um selinho.
- Hã?
- Viajou de novo Euphi-kun! - exclamou irritado.
- Desculpe Castiel-kun. - pedindo abrindo um sorriso que o desmontou todo. Então comecei a descrever o Jade: - Gentil, educado, que me respeite a cima de tudo. Que não tenha vergonha de dizer o que sente, que me dê presentes, sério, mas que brinque as vezes, maduro...
- Pode parando. - disse ele me interrompendo. - Você está descrevendo uma pessoa. Quem é?
- Quer saber mesmo? - indaguei com medo.
- Claro, pois esse cara que você está descrevendo não é Nathaniel e muito menos eu. Não posso chegar a altura desse cara. Quero saber quem é.
- Vai bater nele?
- Se eu conhecer, vou. - respondeu sincero e fechando o punho.
- Não digo. Nele você não encosta um dedo! Se não nunca mais eu olho na sua cara! - ameacei já o defendendo feito uma leoa e ficando em pé.
- Está caidinha por ele! - falou morrendo de ciúmes. - E eu achando que era só Nathaniel.
- Eu não tenho culpa se são vocês que correm trás de mim, tá legal!
- Está nervosa?! - exclamou irritado ironicamente e eu me lembrei do que ele acabou de dizer. - Desculpe Castiel-kun.
- Puff... - resmungou cruzando os braços. - Fala logo quem lhe deixa assim. - falou com ciúmes.
- Prometa-me que não vai fazer nada com ele? - pedi bem séria.
- Sim... palavra de Castiel. - respondeu ansioso.
- Olha lá hein! - ameacei o irritando.
- Pô garota! Não confia não? - fiquei chateada, mas respirei fundo abrindo um sorriso e disse.
- Jade-kun. - ele ficou de cara. Colocou a mão no rosto levantou deu um murro na árvore, voltou e sentou. Estava louco da vida, por essa ele não esperava. Chacoalhava a perna nervosamente e eu esperei ele dizer alguma coisa.
- Covardia. - disse. - O Jade-senpai é mais velho. Quando isso aconteceu que eu não fiquei sabendo?
- Epa! Desde quando eu devo satisfações da minha vida pessoal para você? - ele fechou a cara. Estava chateado mesmo.
- Com esse aí não dá para competir. - disse um pouco triste. - Pois você o ama.
- Bem... todo mundo me diz isso. - concordei com ele. Eu não sabia o que fazer. Se eu o consolava, se eu argumentava. Analisando o que ele me falou eu tinha que ficar calada mesmo. Também não queria irritá-lo.
Castiel ficou com o olhar perdido no meio das árvores enquanto fazíamos silêncio. Acho que essa notícia foi um soco no seu estômago. Então de repente ele indagou:
- E onde ele está agora?
- Está resolvendo as coisas, pois tem uma fazenda para cuidar. - novo silêncio. Castiel colocou seu pé esquerdo sobre o banco dobrando o joelho, apoiou o braço esquerdo sobre ele e inclinou o corpo para trás apoiando a outra mão no banco, ficando em um posição de relaxada. Calçava um tênis All Star de cano alto vermelho. E então perguntou:
- Você já percebeu que eu sou o único que estou do seu lado?
Fiz uma cara de não entendi e ele fez mais alguns minutos de silêncio esperando eu refletir no que disse. Vendo que eu não falava nada e ainda estava confusa respondeu:
- Nathaniel-kun defende a irmã dele e esse Jade-senpai aí, desapareceu. E quem lhe apoia e concorda com você, sou eu.
Aquilo era verdade. Nathaniel ficava estranho comigo por causa de Ambre e Jade... nem presente estava. Mas eu não o culpava, ele precisava fazer as coisas dele, então o defendi:
- Se bem que o Jade-senpai tem que resolver a vida dele. Ele é maduro e responsável, por isso que não está aqui.
- E por que não a levou com ele? - indagou me desafiando ainda mais largado no banco com muito ciúmes.
- Porque eu sou menor de idade e eu tenho colégio, né Castiel-kun?
- Ele poderia lhe ver pelo mesmo, pois desapareceu do colégio.
- Está muito ocupado. - o defendi novamente começando a me irritar. Castiel sentou ereto de novo como estava antes. Aproximou o rosto no meu e olhou-me nos meus olhos. Aquilo sempre me dava um certo medo, mas eu o encarava mesmo assim.
- O dia tem 24hrs... ele não tem um minuto pra vir lhe ver?
Putz, foi certeiro. Era verdade. Dele está muito ocupado não justificava a sua ausência, pois pelo menos poderia me ver por uns 10 minutos. Lembrei-me que ficou chateado no dia do encontro e foi embora aborrecido. Nunca mais o vi, apenas respondia as suas mensagens. Quando um homem desaparece ou é porque perdeu o interesse ou é porque tem algo errado. Geralmente que percebem que perdeu a garota para o outro tendem a ir embora. É muito raro eles lutarem por elas. Não querem ter trabalho, preferem que a menina se gostar dele vá até ele. Será que o Jade-kun está esperando eu ir até ele? Mas como eu vou encontrá-lo? Preciso confirmar isso ligando para ele, se der uma desculpa qualquer saberei que estou dispensada. Não poderia passar a minha vida toda esperando. Ficar disponível.
(Recomendo ler Por que os Homens amam as Mulheres Poderosas? Já alerto que a autora não quer que sejamos egoístas, mas que amemos nós mesmas. E garanto que funciona.)
Enquanto eu refletia, Castiel voltou a ficar ereto e segurou a minha mão fazendo carinho com o polegar. Chantilly pousou no meu ombro e segurando no meu cabelo sussurrou no meu ouvido:
- Ele está fazendo intriga entre vocês dois não escute-o. - porém Marshmallow interveio voando na direção dos meus olhos:
- Não está não. - disse com aquela vozinha fofa dele. - Castiel-chan está preocupado com você Euphi-chan! Ele quer lhe abrir os olhos!
- Não! - descordou Chantilly. - Ele quer que ela esqueça o Jade-chan para fica com ela! Euphi-chan não escute Castiel-chan. - pediu choramingando.
- Mas é verdade o que ele falou. - continuou Marshmallow. - Ele é o único que está do seu lado, não percebe?
Fiquei tentada em respondê-los, mas não podia fazer se não Castiel iria me achar uma doida falando sozinha. Então como um tigre esmagador de corações Castiel-kun disse:
- Eu nunca lhe fiz chorar e nem vou fazer. Sempre estarei do seu lado para o que der e vier. E ainda vou fazer você me amar.
Derreti na hora. Ele estava me dando justamente o porto-seguro que Jade me dava. Estava me apoiando e sabia que eu não gostava dele, quero dizer... depois daquele show...
Mas eu não podia e era verdade aquilo que ele disse com relação a Jenna. Se eu não soubesse que ela gostasse dele ou se ela não gostasse, talvez estaria com ele agora. Não posso trair uma amiga, pois amizade dura uma vida. (É minha filosofia de vida) Namoro acaba, casamento também, mas a amizade é a única que fica. E minha resposta para Castiel foi:
- Não posso ficar com você. - ele arregalou os olhos surpreso. - Não quero perder a minha amiga, pois relacionamentos acabam e a amizade é eterna.
- E os meus sentimentos não contam? - Ôh, linguinha afiada! Parecia que eu estava jogando xadrez com ele. Diante daquilo eu estava entre a cruz e a espada. Para completar jogou na minha cara: - Eu sei que algo despertou dentro de você depois de ontem à noite. Se não fosse pela sua amiga, você aceitaria a ficar comigo.
"Maldito". Acabei de perder a rainha do meu jogo. Era pura verdade. Não sou de roubar namorado de ninguém, sempre achei uma injustiça. Não faço com os outros aquilo que não gostaria que fizessem comigo. Se roubasse meu namorado eu iria ficar chateada. (Por isso que na fic o Leigh fica com Rosalya, já que todo mundo o rouba no jogo e eu não serei diferente) Mas jogo é jogo e vida real é vida real. Jamais roubaria o namorado de alguém ou ficaria com quem minha amiga gosta. Sempre foi assim e sempre será.
Vamos parar de filosofar e encher linguiça. Voltando a história...
Castiel esperou pacientemente a minha resposta enquando eu refletia. Ainda segurava minha mão e fazia carinho com o polegar nas costas. A única resposta que poderia dar era essa:
- É verdade o que você falou. Fico feliz pelos seus sentimentos, mas não espere que eu o corresponda.
Ele já tinha jogado todas as armas e deu um xeque-mate. Deu-me um beijo delicado com um abraço apertado e disse:
- Sempre estarei do seu lado.
Aquilo me matou. Encheu meus olhos d´ água. Dei o último abraço nele e com um olhar de despedida. Levantei enquanto segurava sua mão. Ele franzia as sobrancelhas dizendo "eu lhe entendo, mas eu não desistirei."
Com isso dei-lhe as costas e sai andando chorando horrores.        




    



{ 6 comentários... read them below or Comment }

  1. 14 vai ser meu novov numero da sorte muhahaha

    ResponderExcluir
  2. Meio idiota,sendo q só seria traição se ela namorasse ele!!mas adoro a fan!Tbem acho q escolher o Jade como amor,não sei se é pq não gosto dele,mas...bom,enfim
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. adorei esse muito lindo.

    ResponderExcluir
  4. Que tosco esse Castiel, ele é rockeiro, não um bandidinho. Do jeito que ele fala nessa fic parece que é um idiota. Realmente ruim, ele não tem nada de atraente, e olha que eu sempre preferi ele ao Nathaniel, pelo menos no jogo. Tadinho, você transformou ele num cara besta.

    ResponderExcluir
  5. curto mt essa fanfic, só fiquei bolada porque ela atropela, esmaga, dilacera tudo o que podemos chamar de Lysandre (né isso tudo não, é que eu sou exagerada kkk). E até o apaga um pouco (ao menos até aqui, tenho esperanças dele ganhar destaque mais para a frente. poxa.. logo o meu preferido? hehe). E o Danjan.. a personalidade dele foi alterada intencionalmente, não é?? cheguei a pensar que era outra pessoa com o nome dele... Outra coisa, é a velocidade dessas paixões (porém, completamente compreensível.. se ficasse na lenga lenga do jogo.. iria até o ep 5000 e as leitoras não teriam paciência.. kk)
    (só estou defendendo esses personagens prq gosto muito deles..)Fora isso, trabalho excepcional... muito bom mesmo... :D
    Ah, curti a forma que vc usou o personagem Jade. Na verdade eu não o conhecia de fato, só ouvia falar, prq sempre escolhia o clube de basquete. Isso me incentivou até a criar uma conta nova onde eu entraria para o clube de jardinagem hehe

    ResponderExcluir

Por favor não me cobrem quando irei postar.
E por favor respeitem as opiniões e não comentem coisas que podem ser construtivas, pois elas soam como critica.
Obs: Essa ideia é protegida pela lei 9610 de 19/02/1998, qualquer cópia ou rescrição da mesma como plágio, repete a punição conforme consta em lei.
Ou seja, eu sou a criadora, eu sou a única dona.

- Copyright © Amour Glacé - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -