Popular Post

Posted by : Euphimea segunda-feira, 9 de julho de 2012


Não! Não! Nããããããoooooooo! Qualquer pessoa menos ele! Nathaniel parou assim que atravessou a rua. Estava sério e bravo. Aquela vassoura com patas deve ter fofocado de mim e Castiel. Engole-me terra, engole-me terra! - pedia corando.  Ele esperou eu dizer alguma coisa. Abaixei meus olhos e disse:
- Não posso falar com você agora. - lágrimas ainda corriam na minha face e passei por ele sem encará-lo, quando agarrou meu braço firme fazendo recuar para a calçada. Então para minha surpresa me abraçou.
- Ele lhe maltratou, lindinha? - perguntou fazendo uma voz doce, mas sua aura me dizia que ele estava aborrecido.
- Antes fosse... - comecei a chorar tudo de novo no ombro dele. Sua aura aborrecida foi diminuindo, pois seu abraço estava mais acolhedor.
- Não quer contar pra mim o que houve? - perguntou já com a voz mais suave. Acho que a raiva dele passou. Tudo culpa daquela vassoura com patas aborrecendo o meu anjinho.
- Não posso. - respondi ainda chorando muito.
- Por que Euphi-chan? - insistiu no meu ouvido com a voz doce. - Você sempre suporta tudo sozinha. - continuou afastando-me um pouco e limpando as lágrimas dos meus olhos.
- Alguma vez você concordou comigo? Deu o apoio que eu precisava?  - ele corou. Realmente até agora Nathaniel só sabia me criticar, mas dar o meu suporte e ficar do meu lado como Castiel está disposto a fazer  ele não fazia. 
- Desculpe Euphi-chan... - disse olhando de lado. - É que eu nunca amei antes, então isso tudo é novidade para mim. Fiquei sabendo que você e o Castiel estavam se beijando... e vim tirar satisfação, mas quando lhe vi chorando deu-me uma vontade de lhe proteger. 
Meu Deus! Que fofo! Confessar dessa maneira. Fiquei um pouco mais aliviada, mas preferi não dizer que Castiel é um doce e que irá me apoiar mesmo que o mundo acabe. No entanto o motivo do meu choro era de não poder ficar com ele por conta da minha amiga. Agora se Nathaniel começar a ficar do meu lado como Castiel então a dor passaria...
- " Você nunca estará sozinha. Vou te segurar até que essa dor passe. E agora... enquanto eu puder estarei lhe segurando com ambas as mãos. Pois eu sempre acreditei que não há nada que eu precise a não ser você. Então, se eu ainda não fiz" ... me perdoe. ( Never Be Alone, Nickelback) - foi o que Nathaniel me disse. Eu não acreditava no que estava ouvindo. Por um acaso leu meus pensamentos? E com isso agarrou meu rosto dando um beijo. Depois me abraçou novamente e continuou falando: - Não sei o que aconteceu, lhe respeito por isso, mas não chore. 
Ah! Então é isso. Ele acha que Castiel fez alguma coisa comigo. Talvez esteja pensando que Castiel me agarrou, forçou-me a beijá-lo ou algo do tipo. Queria ter certeza do que disse antes então eu indaguei:
- Você estará disposto a me apoiar e concordar comigo? 
- Sim. - respondeu. - Se você também confiar mais em mim.
- Tudo bem... eu confio. E continuará me apoiando mesmo que a Ambre-kun fale ou faça alguma coisa contra mim? - ele refletiu por alguns minutos. Respondeu indeciso:
- Vou. - torci o nariz. O que eu poderia espera dele? Nada. Ele percebeu que eu fiquei desapontada e afastei-me. 
- Tenho que ir ver minha amiga, Nathaniel...
- Vou com você. - disse segurando minha mão fazendo-me parar de novo. - Somos namorados oficiais agora, lembra? Apresentei-lhe aos meus pais...
- É... - concordei insatisfeita. É lógico que eu não poderia comparar o Nathaniel com Castiel. Impossível! Atravessamos a rua de mãos dadas como namorados. Eu olhei para ele que corou e deu um sorriso de felicidade. Mas eu não estava contente. Encontramos algumas garotas da escola. Eram cinco meninas zangadas de verem Nat de mãos dadas comigo. Percebendo a situação ele disse:
- Deixem eu lhes apresentar meninas. Essa é minha namorada Euphimea-chan. - aquilo fez com que elas desmontassem. Começaram o chorar, pois o lindo delas havia me escolhido. 
- Vamos embora, querido. - disse irritada o puxando e ele despediu abanando a mão. 
Chegamos no apartamento e como era a hora do almoço fui ver se a Jenna estava no restaurante. Quando entrei todas as meninas olharam para nós. Claro! Se eu estivesse sozinha passaria despercebia, mas com aquela criatura loira do meu lado, o favorito do colégio, tinha que chamar a atenção mesmo. Então um murmurinho foi ouvido. Todo mundo cochichando e fofocando de nós. Quando a Anny nos viu veio correndo feito uma doida indagando:
- Finalmente vocês se acertaram?! Que bom! - eu olhei para ela e disse sem falar nada "amiga você não sabe o que aconteceu" e ela entendeu a mensagem respondendo de volta "depois você me conta!" Por isso que é bom ser mulher, a gente só se comunica com o olhar. Ela entendeu de imediato que eu não estava gostando daquela situação. Abriu um sorriso ao perceber que Nat estava confuso, chamando-nos para sentar com as meninas. Quando vi a Jenna dei um abraço nela aliviada, pois ontem estava tão apática, pobrezinha.
- Está melhor? 
- Estou bem Euphi... não sou nenhuma fracota. E vejo que se entendeu com Nathaniel-senpai. 
- Olá meninas! - cumprimentou ele levantando a mão esquerda e dando um sorriso fazendo Aikka corar na hora. 
- Senta com a gente! - convidou Carol . Nat sem graça sentou e foi o suficiente para os comentários aumentarem. Levantei para pegar a minha comida e Nat foi junto. Olhares de reprovação, tristeza e curiosidade nos invadiam.
- Está lhe incomodando? - indagou, pois eu ainda estava com a cara fechada. 
- O quê? - perguntei sem entender enquanto me servia. 
- Esses olhares e comentários. 
- Estou um pouco sem graça, mas preciso encarar a realidade. Você é o meu namorado quer elas queiram ou não. - ele corou feliz e deu-me um beijo no rosto. Pra quê. Auras negras e assassinas inundou o lugar. Não quis nem olhar  quem era, pois iriam me assustar. Fomos para a mesa e sentamos todos juntos. Claro que Nathaniel ficou incomodado e se esforçou para não importar da mesma forma que eu. Então eu ouço uma voz que conheço a um quilômetro de distância :
- Maninho! Você por aqui?
- Olá Ambre. - cumprimentou assim que engoliu a comida.
- Você sempre tão gentil. Fazendo companhia a essas meninas carentes. Elas devem lhe achar um anjo salvador. - todas a encaram.
- Deixa de brincadeira, Ambre. - pediu ele. 
- Ôh! Eu não acredito que você continua com a aberração. - falou colocando a mão na boca escondendo o sorriso. - Depois de tudo o que eu lhe contei! 
- Não fale assim da Euphi-chan. Ela não fez nada de errado.
- Ah não? - indagou ironicamente. Então deu uma passada de olhos para todas as meninas do refeitório e disse com a voz bem alta: - Eu a vi se atracando com Castiel-kun. E você continua namorando com ela?
- Você está exagerando Ambre. Sei que ela é inocente. 
- Inocente? Você é cego mesmo! - riu-se passando a mão no cabelo. - As meninas estão de prova. - disse olhando para Charlotte e Li. 
- É Nathaniel-kun nós vimos com nossos olhos. - começou Charlotte.
- Ela estava as beijos com Castiel os dois abraçadinhos bem juntinhos, lhe traindo direitinho. - confirmou Li. 
- Tenho certeza que ela não fez por mal. - defendeu-me de novo se levantando. - Agora dá para parar de me expor na frente de todas.
- Ah! Não quer queimar a sua imagem. - provocou Ambre. - Você é o queridinho do colégio. Mas eu não posso deixar de lhe avisar que essa sua namorada é oferecida, já traçou você, Jade-senpai e agora o meu Castiel-kun.
Agora ela foi longe de mais me chamando de piranha. Eu levantei ao mesmo tempo que a Jenna. Fiquei assustada, pois nunca a vi vermelha de raiva. Estava calada até então para ver até onde Nathaniel me defenderia. 
- Escuta aqui sua vassoura de patas agora você foi longe demais me ofendendo!
- Olha, finalmente acordou! 
- É... e desde quando o Castiel-kun é seu? - indagou Jê furiosa. 
- Desde sempre. - respondeu com as mãos no quadril. - Já vi que a timidazinha também gosta dele, mas desse jeito nunca irá conquistá-lo.
- Sua lambisgoia metida! - enfureceu-se ela ainda mais vermelha. - E de você ele jamais gostaria sua patricinha! 
- Ah, cuidado com a sua amiga da onça, pois ela já o agarrou.
- Eu jamais trairia a Jenna! - gritei começando a ficar vermelha. 
- É! Eu confio nela e ela confia em mim!
- E por que ela não se afasta dele? - perguntou olhando as unhas. Houve um breve silêncio, começando a acreditarmos nesse fato. Então eu me defendi:
- O que eu posso fazer se sou irresistível. - debochei. - É ele corre atrás de mim e não de você limpadora de chaminé!
- É isso mesmo! - concordou Jê. - Euphi é uma boa pessoa não quer magoar ninguém! Se ela quisesse me trair estaria com o Castiel-kun agora e não com o seu irmão! 
Quando ela disse aquilo, levei uma pontada no peito. Tinha me dado conta que me apaixonei por Castiel e que poderia está a traindo. Mas ela é minha amiga em primeiro lugar. Anny se levantou e foi nos defender também, pois é outra que tem um ódio mortal por aquela jararaca. 
- Deixe-nos em paz sua loira de banheiro! 
- Ih, mais uma! - exclamou passando a mão no cabelo. - Está toda nervosa porque o Lysandre vive correndo atrás de mim. 
- Grrr... - irritou Anny com as mãos em direção ao pescoço de Ambre. Como esta é alta a empurrou que cambaleou para trás e nós a seguramos. 
- Você é uma péssima namorada para o meu irmão e se afaste de meu Castiel-kun. - ordenou apontando na minha cara. - Você bobinha cuidado com a sua amiguinha traíra e com relação ao Castiel-kun não preciso me preocupar, pois já é uma carta fora do baralho. - apontou para a Jenna. - E você cabelos de vovó, para tê-los prateados tem que ser de velha mesmo, não se intrometa onde não é chamada.
Aquilo ofendeu todas as meninas de cabelos prateados inclusive a Aikka que se levantou e veio se juntar a nós. 
- Agora você está me ofendendo queridinha.    
- É um complô contra mim! O que vocês acham meninas? 
- Covardia quatro contra três. Mas nós sempre fomos as vencedoras. - respondeu Charlotte. 
- Isso mesmo amiga! Nós sempre estaremos unidas para derrubar essas barangas nanicas. - respondeu Li. 
- Claro como as "Trix". - comentei. Elas ficaram assustadas, pois também sabiam de quem eu estava falando. - Você não pode me proibir de falar com o Castiel-kun, pois ele sempre vem falar comigo. 
- E você sempre irá trair meu irmão e sua amiga. Como você vai a um encontro com ele vestida de rosa! 
A Jenna olhou para mim e percebeu que a Ambre falava de algo recente. Eu fiz uma cara de "não acredite nela". E fui logo me defendendo:
- Eu o encontrei por um acaso na praça! E percebi que estava aborrecido e fui falar com ele! Se vocês têm um longo relacionamento e o conhece bem, talvez saiba o que está se passando com ele!
Então houve um silêncio mortal ali. Ambre engoliu seco fazendo uma cara de " o que ela sabe que eu não sei." Jenna ficou curiosa me olhando querendo saber o que se passava com o seu amor. 
- Eu sei tudo sobre ele! - justificou ela. - Pois eu o conheço há 12 anos, quando tinha 5 anos queridinha! E você só o conhece nem um mês direito!
- Aposto que nunca experimentou os lábios dele! - provoquei. Ela apertou os olhos irritada cruzando os braços. 
- Ainda bem! - exclamou Jenna de repente. - Pois se não ele morreria com o seu veneno, cobra! 
- Você ainda defende sua amiga que o beijou essa manhã! Que mundo é esse em que vivemos! 
- Eu confio na minha amiga! 
Senti outra pontada no peito. Calma Euphi... você não traiu a Jê! Você só o encontrou por um acaso e resolveu falar com ele! Se ele lhe beijou partiu dele! Então me defendi:
- Pois fique sabendo vassoura com patas que foi ele quem me beijou! Eu apenas foi conversar com ele, já que estava deprimido de algo que você não sabe o que é! 
- Grrrr! - deu o chilique dela e nós tampamos nossos ouvidos com os dedos. 
- Para de dar "piti" loura aguada! - exclamou Anny que até então só observava a discussão. - Que lambisgoia mais barulhenta. 
- Olha aqui suas pirralhas! - exclamou apontando para cada uma. - Isso não vai ficar assim! Vou destruir a vida de cada uma de vocês! Começando por Lysandre-kun.
- O quê! - gritou Anny enlouquecida de raiva puxando os cabelos de Ambre que gritava. Suas amigas as separaram e se colocaram na frente dela. - Se você colocar um dedo no Lysandre-senpai eu lhe afogo na privada e lhe mando para inferno! Sua barata descascada! 
- Parem de brigar meninas! - gritou Nat segurando a Anny que pulava sem parar para agarrar a Ambre. Esta arrumou os cabelos irritada:
- Fique longe de mim sua louca!
- Solta-me Nathaniel-kun! - kun porque ela é mais velha do que ele. - Eu quero arrebentar a cara dessa vaca se triscar em um fio de cabelo do meu Lysandre-senpai! - ele é mais velho que ela. 
- Ambre melhor ir embora. - pediu Nathaniel todo descabelado ainda segurando Anny pela barriga que não parava quieta. 
- Claro que não, acabei de chegar! 
- Vou lhe dar $ 150,00 para você almoçar no Françoir hoje. 
- Vai mesmo?! - indagou toda interessada. Anny parou de se debater e Nathaniel a soltou, quando se viu livre já voou para Ambre novamente e Nathaniel a agarrou. 
- Euphi-chan. - pediu ele com dificuldades. - Pegue minha carteira no bolço de trás da minha calça. Corei na hora por que teria que pegar no fusca dele! Enfiei minha mão com cuidado e logo encontrei a carteira. 
- Pega o valor que prometi e dá para a Ambre. - obedeci e fiquei  de cara com tanta nota de dinheiro que ele tinha na carteira. Ela tomou o dinheiro da minha mão, deu uma rápida confurida nas notas, dobrou-as e enfiou no bolso de sua calsa jeans. 
- Obrigada irmão querido! Vamos meninas comer no Françoir melhor que essa lavagem que tem aqui. - e saiu jogando o cabelo. Quando finalmente passaram pela porta Anny se acalmou e Nathaniel a soltou. Ela arrumou os cabelos foi sentar para terminar de almoçar. 
- O que que estão olhando?! - rosnou Carol para as meninas tirarem a atenção de nós. Nathaniel levou as duas mãos no rosto desgostoso. 
- Você acabou de comprar o silêncio da Ambre? - indaguei para ele que olhou-me assustado.
- Claro que não Euphi-chan! De onde você tirou isso? - brigou comigo, pois estava irritado.
- Desculpe... foi o que pareceu. Não precisa gritar comigo.
- Ôh, desculpe minha linda. - pediu me abraçando e encostando a cabeça no meu ombro.
Almoçamos e perguntei para Nathaniel se ele queria passar a tarde comigo. Ele disse que precisava ir na casa do Charlie conversar. Pergutei que conversa era e ele disse: "papo de homem." Então deixei ele ir, afinal também precisar ter papo de mulheres com minha amigas.
Subimos para o nosso quarto eu e as sete meninas conversar. Anny ainda bufava com o acontecimento e ficou pensando horrores o que Ambre poderia fazer com Lysandre:
- Justo agora que ele iria me conhecer melhor! Eu mato aquela lambisgoia!
- Calma amiga. Pensamento positivo nessa hora! - exclamou a otimista da Jenna. - Mas agora me conta Euphi o que aconteceu com você e o Castiel? - indagou com uma voz tranquila e sem estar com ciúmes.
- Bom... antes de contar vocês devem me jurar segredo absoluto, pois Castiel-kun me confidenciou algo pessoal e não quero ser rotulada de fofoqueira. E se chegar nos ouvidos dele saberei que foi uma de vocês que contou e me traido. A consequencia é o fim da nossa amizade.
- Nossa Euphi! - exclamou a Tati chocada. - Não precisa exagerar, né?
- Preciso sim. Isso é confidecial! Ninguém mais sabe... e além do mais... - abri um sorriso no rosto. - É uma vantagem que tenho contra aquela  vassoura com patas!   - elas vibraram e riram. Então eu comecei a contar desde da hora que desci depois de mandar a mensagem para o Jade até o hora que encontrei com o Nathaniel.
- Que horrivel! - lamentou-se Jenna. - Os papix dele iram se separar!
- Acho que por isso que ele lhe beijou Euphi. - disse Carol de repente. - Ele estava precisando de apoio, não foi traição.
- É verdade. - concordou Kelly. - Você não gosta dele. - fechei os olhos naquela hora e meu corpo extremesseu. Quando abri-os dei de cara com os olhos azuis de Anny já percendo o que ninguém havia notado. Como cada uma dava a sua opinião e armando um plano de juntar os dois deixando Jê corada, Anny me encarava séria com seus olhos de loba que pesca tudo e tivemos um diálogo telepático o seguinte:
" Não me diga que você está gostando dele?"
" Estou sim! Eu não posso ficar com ele por causa da Jê." - respondi olhando para nossa amiga roqueira.
" Como você é indecisa Euphi! Vai ficar sofrendo por conta disso?"
Minha resposta foi um dar de ombros. Depois ela fez um movimento com as mãos: Quero falar com você depois. Quando voltamos para a conversa já era algo relacionado as nossas fadas. Jenna e Kelly tentava convencer as meninas das fadas delas que estavam ali por perto. Tentamos fazê-las acreditarem e conforme isso acontecia a outra acabava crendo também. Então foram apresentadas suas fadas:


Sakura Fada da Linda- Despreocupada
 Glitter Fada da Aikkaa -Diversão
                                            Cherry Fada da Tati - Alegria
                                           Rock Fada da Carol - Sabedoria

Carol deu um chilique quando viu a fada dela.
- Por que que ela tem que ser roqueira?! Isso é um absurdo! Não admito isso!
- É porque ela é o oposto de você. - expliquei. Ela não aceitou isso rejeitando a fada dela que disse com a voz mais calma do mundo:
- Não é o exterior que faz uma pessoa e sim o interior.
- Aaaaaaahhhhhhh! - gritou desesperada. 
Só a Aikka que tinha a fada parecida com ela. Perguntamos para a fada o porque e ela mesma não soube explicar. Ficamos falando mal da Ambre, vimos filme da tv a cabo, fofocamos dos meninos, fiquei com um pouco de ciúmes dos comentários delas e quando foi a noite as meninas desceram para jantar. Anny foi na minha frente e eu fiquei por último para tranca a porta. Fingiu sair e de repente virou-se me empurrando para dentro do quarto fechando a porta e encostou para ninguém entrar. 
- Você está apaixonada pelo Castiel-kun, não está Euphi? - parecia que eu estava falando com uma delegada de polícia. 
- Estou amiga. - choraminguei. 
- E o que você vai fazer? - indagou preocupada.
- Vou deixar ele para a Jê. - respondi com os olhos em lágrimas.
- Vai mesmo!
- Vou. Se eu de repente namorasse o Lysandre, como você se sentiria?
- Ai de você se fizer isso! - ameaçou levantando o dedo indicador. 
- É só uma hipótese, doidinha! - exclamei brincando. Ela sorriu aliviada e disse:
- Que susto Euphi... sei lá, você tem um poder de atração forte, parasse que toma banho de óleos afrodisíacos! Eu ficaria muito triste e talvez nunca mais falaria contigo. 
- Está vendo? Prefiro dar o Castiel-kun do que perder a amizade da Jê. - respondi e uma lágrima caiu do meu olho direito. 
- Ôh, amiga. Força. - reconfortou ela me dando um abraço apertado. - Vamos descer se não as meninas podem vir atrás de nós.


DEDICO ESSE VIDEO NÃO SOMENTE A JÊ, MAS PARA TODAS AS MINHAS AMIGAS!





                    
     
      
  






















{ 3 comentários... read them below or Comment }

  1. Peço desculpas meninas, deu um problema aqui e apaguei os comentários sem querer.

    ResponderExcluir
  2. nossa, você ta tao enrrolada, o que o poder de uma garota não faz né?!

    ResponderExcluir
  3. É dificil quando gostamos de duas pessoas que são muito importante na nossa vida, mais dificil é escolhe quem ira ficar com o nosso coração. Castiel tem muita coragem ao ficar do lado da garota que ele ama mesmo sabendo que ela pode não corresponder a esse sentimento tão profundo que ele sente. Força Euphimea voce vai escolher o garoto serto!

    ResponderExcluir

Por favor não me cobrem quando irei postar.
E por favor respeitem as opiniões e não comentem coisas que podem ser construtivas, pois elas soam como critica.
Obs: Essa ideia é protegida pela lei 9610 de 19/02/1998, qualquer cópia ou rescrição da mesma como plágio, repete a punição conforme consta em lei.
Ou seja, eu sou a criadora, eu sou a única dona.

- Copyright © Amour Glacé - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -