Popular Post

Posted by : Euphimea domingo, 9 de dezembro de 2012


Aviso:
1º. Fiz o episódio 16 e os contarei como foi. u.u (spoiler)
2º. Achei muito fraco a intriga que a Debrah faz conosco.
3º. No jogo o Castiel não sabe que ela é uma víbora, então terei que fazer algo muito forte para ele me odiar. 
Serei a Yui Watase mais uma vez. ( Quando isso acontecer o texto será verde.)
Sabia mais sobre ela: http://mugiwaraotakus.blogspot.com.br/2012/03/biografia-yu-watase.html
4º. Fiquem calmas, que eu voltarei para o Castiel, mas não sei quando.  (E eu xonei no Ly agora. T.T) 
5º. O que estiver em azul faz parte do jogo.
6º. Em vermelho é uma resposta certa. 
7º. O ep. 16 termina sem solução, então eu só poderei voltar para ele quando o ep. 17 sair, então... vamos ficar separados. 
Boa Leitura ^^ 



Foi muito divertido, Castiel me levara em parque de diversões dessa vez. Não sabia que existia um naquele fim de mundo. Nos divertimos muito. Nunca poderia imaginar isso dele. Comemos cachorro quente, pipoca e algodão-doce. Andamos em todos os brinquedos, menos no Trem Fantasma, pois eu implorei para não ir, porque tinha muito medo, por que fui em um uma vez e quase morri do coração. Ao invés disse o arrastei para a roda gigante e ele ficou furioso porque ela era muito lenta e demorava para dar as 4 voltas completas, mas eu achei engraçado.
- Nunca mais me faça andar nessa coisa!
- Tá bom! Aproveite a vista seu bobo.
Bem, foi bom para dar uns beijos dentro da cabine. Eu estava muito feliz e ele também. Voltamos, pois tinha o fim das aulas no dia seguinte.
No dia seguinte no refeitório do prédio notei que haviam  novas meninas. Mas como era fim de ano, estranhei.
- Tem novatas? Não tem?
- Acho que sim. - respondeu a Kelly.
- Eu ouvir dizer que chegou um ônibus hoje de madrugada. - respondeu Anny tomando seu café com leite.
- Está uma ótima detetive. - brincou a Jen.
- Bom, pelo menos novas amigas. - sorriu Aikka.
Havia uma menina chamada Mika, era linda e quando se levantou para se servir de mais pão, tive um pouquinho de inveja, pois seus seios eram tão grandes que balançavam ao se movimentar. Precisava comprar sutiã com enchimento rapidamente.
Depois do café fomos para a escola. As provas finais estavam chegando e eu queria entrar de férias logo, pois não aguentava mais estudar. Eu e as meninas, menos a Aikka, aquela cabeçuda, sua Nathaniel de saia!
E assim que atravessamos a rua, vejo Castiel conversando com a Debrah.
- O que ela ainda quer com ele?!- indagou Kelly irritando-se.
- Euphi de Deus! Vai lá! Defender o seu homi! - gritou a Anny me empurrando.
- Está bom, estou indo. - disse andando apressada para falar com o Castiel. - Bom dia Castiel é...
- Euphimea! - gritou ele comigo que até me assustou, pois não esperava por isso. - Estou tendo um conversa muito importante depois a gente se fala!
"Que conversa importante é essa?"- pensei mordida de ciúmes. Então entrei na escola e encostei-me no muro perto de onde eles falavam.
Ela: Então Castiel. Estou com um novo empresário e ele quer lhe conhecer. Falei de você pra ele.
Ele: O pai daquele babaca já faz isso.
Ela: Mas esse irá fazer sua carreira pelo mundo afora.
Ele:  Hum... é mesmo. - sua voz era de interesse. As meninas entraram e ficaram ouvindo junto comigo.
Ela: Sim. E ele já marcou uma entrevista para semana que vem.
Ele: Sei... mas eu preciso pensar. Além do mais tenho que entrar, pois daqui a pouco a diretora vai gritar no meu ouvido e eu não quero.
Ela: Então tchau, gatinho.
Ele:  Tchau.
Tratamos logo de entrar para que ele não percebesse. Castiel passou por mim e nem deu um oi. Começou a se comportar de um modo estranho e eu não gostei nada.
- Bom dia Euphimea, cortou o cabelo, ficou diferente. - disse um menino com calça de exército e olhos verdes sentando ao meu lado.
- Desculpe, mas eu lhe conheço? - indaguei e ele sorriu.
- Acho que estou muito diferente mesmo. Sou aquele menino que vivia andando atrás de você e trocou de colégio por sua causa.
- Hã! Ken! - exclamei quase caindo da cadeira do susto que elevei. - É-é você mesmo? C-como você mudou! E os óculos?
- Estou usando lente, melhor que aquele óculos fundo de garrafa não acha? - indagou sorrindo de novo.]
- Meu Deus! Bonito assim é bem capaz de arruma uma namorada. - exclamei sem acreditar o fazendo corar.
- He, he. Sempre sincera. - disse sorrindo e ainda mais corado.
Na hora do intervalo fomos conhecer as novatas.
A doce Alais, alegre June, a Mika que adora conversar, a Kloster que é bem educada, simpática Ichigo, a misteriosa Kushy, Deeh um pouco irrita,  a tímida Naomi, a gentil Megurina, a  meiga Ellen, romântica Bella  e a fria Kyoko. Também chegou mais rapazes e um deles eu não acreditei quando vi, as meninas ficara alvoroçadas, pois Len Tsukimori estava em nossa escola.(Do anime La Corda d'Oro) Ele era um gênio na música clássica, aprendeu a tocar violino aos 5 anos de idade, mas começou com piano. Porém nunca se achou a altura da mãe, a maior pianista do Japão, então ele decidiu trocar pelo violino. Eu o segui e ele subiu para o terraço da escola para tocar o seu violino.
                                                                      (Eu amo ele. *w*)
Ele som era magnífico e senti alguém atrás de mim era a Jenna, outra instrumentista que tocava tanta coisa que eu nem sei viu.
- Que linda performance  - disse ela para mim o fazendo parar.
- O que fazem aqui? - indagou rispidamente.
- Er... não é nada! - exclamou ela em pânico.
- Viemos ouvir a sua música. É muito bonita. - falei um pouco tensa.
- Ainda não é perfeita. - respondeu ele fechando os olhos e apertando uma das cortas.
- C-como? -gaguejou a Jen. - Eu que toco violino não toco igual a você.
- Bem, ainda não lhe ouvi tocando para comprar. - disse sem graça levando a mão na cabeça.
- Meus pais vão enviar meus instrumentos, pois acabou o meu castigo.
- Vocês estão incomodando, caiam fora.
- Credo que cara grosso. - disse Jenna virando as costas segurando-me pelo braço.
- Mas é menos que Castiel.   - foi assim que me lembrei dele. Desci as escadas para falar-lhe e o procurei em vários lugares não o encontrando. Então fui perguntar para o Ly onde ele estava.
- Lysandre, você sabe do Castiel?
- Bem... eu o vi sair agora a pouco.
- Sabe para onde ele foi?
- Infelizmente não.
- Obrigada pela ajuda.
- Fico feliz em lhe ajudar. - disse sorrindo. Logo Anne chegou um sorvete na mão.
- Alguém quer?
- Eu! - gritamos Kelly, Jen e eu.
Aikka estava novamente enfiada na sala de representantes e fazia de tudo para agradar Nathaniel. Melhor assim, pelo menos ele não fica no meu pé. Já Castiel agia estranhamente depois de falar novamente com a Debrah.
- Ah... voltei. - disse Chantilly aparecendo. - Oi Euphi-chan.
- Hum... a fada ingrata voltou? - indaguei a ignorando.
- Poxa Euphi! Você se apaixona por aquele gorila e eu tirei um tempo para me recuperar do choque que levei.
- Hum... sei.
- Ôh, se não é a Nina-idiota. - disse um menino loiro de olhos verdes nos interrompendo.
- Deixa-me em paz Derek! - gritou batendo nele.
- Derek?! - exclamou a Jen correndo para ele feliz.
- Olá cabecinha de vento. - disse ele passando a mão na cabeça dela.
- Cabeça de vento aqui é você! - e bateu nele.
- A Jen é brava. - falou Armin levemente sem graça, mas feliz. - Era ela que eu procurava para salvar a cidade em perigo.
- O que é isso? - indaguei confusa. - Meninas Superpoderosas?
- Nop! É Astro Boy.
- Ah! Claro! - exclamei ainda sem entender, muito sem graça. - "Fica falado as coisas como se a vida fosse um video game". Então viro-me e vejo Ken beijando a Ambre.
- Heeeeee! - exclamei chamando a atenção de todo mundo.
- Ai meu Deus! - exclamou a Anny entregando o sorvete para o Ly e correndo para lá. - Ele vai morrer envenenado!
- Vamos ajudar! - gritou a Jen.
Eu corri com a Kelly e agarramos na cintura uma da outra para o puxar de lá e a Anny abraçou a cintura dele. Com isso fizemos força e caímos todas no chão.
- Acho que morri esmagada. - disse Anny, quase era possível ver seus olhos como duas espirais.
- Vocês são loucas! - gritou a Ambre arrumando a manga da blusa que caiu em seu ombro.
- Ei! Estão me atrapalhando! - exclamou Ken rudemente me fazendo não reconhecê-lo. "Desde quando ele ficou assim... tão estúpido?" - pensei. Nós levantamos e então começou um diálogo bem interessante: - Além do mais Ambre você beija mal pra caramba.
- C-como? Você quem me atacou seu maluco!
- E ainda por cima é feia que nem um canhão!
- Óh!
- Nunca mais se aproxime de mim viu! - gritou e pegou o iphone da mão dela jogou no chão e quebrou com usa bota de exercito. (Oh... meu $300. T.T * Quando joguei era esse valor nem sei quanto tá agora.)
- O que você fez? Era novinho! Você é um doente. - com isso jogou o cabelo para trás e saiu andando para a sua sala. Eu e as meninas batemos palmas felizes.
- Bem feito para a jararaca! - gritei.
- É isso Ken! Muito bom! - exclamou Kelly.
- Uhu! Aquela vaca leiteira mereceu! - gritou Anny.
- Isso mesmo! Humilha a cobra! - exclamou Jen.
- Bem... meninas, poderiam me chamar de Kentin, pois não quero me lembrar daquele horrível época.
- Náh, mas Kentin é mais comprido. - falei. - São duas silabas.
- Vai gastar minha saliva. - concordou Anny fechando os olhos e sorrindo.
- Posso lhe chamar de Kent? - indaguei sorrindo o fazendo corar.
- Como o de Clark Kent?
- Sim.
- T-tá bom.
Terminou o intervalo voltamos para a sala de aula. Depois fomos para os clubes esportivos e eu percebi que um menino muito parecido com o Castiel, de cabelos pretos e óculos não parava de me encarar, pois de um lado era a aula de esgrima e do outro a de pontaria. O professor Allan arrumou uma namorada e por isso que ficou mais frio conosco e principalmente comigo. Fui com a Jen esperar as meninas no portão depois das atividade e iriamos lanchar no restaurante do apartamento mesmo, para não gastarmos muito dinheiro. Eu queria comprar sutiã com enchimento e ela queria mudar o visual.
Enquanto esperávamos o rapaz parecido com o Castiel, porém de óculos apareceu e veio falar comigo ignorando totalmente a Jenna.
- Olá, meu anjo. - cumprimentou com um olhar malicioso e pegando no meu queixo.
- Olá. - respondi fechando a cara pelo atrevimento. Então ele nota a Jenna.
- Oi bonequinha.
- Eu me chamo Jennaah e não bonequinha, não coloque apelidos em mim.
- Sim, desculpe. Chamo-me Yuri e você? - indagou virando-se para mim.
- Euphimea.
- Euphimea? - indagou querendo rir, mas se conteve e fez cara de espanto. - Acho que a minha presença não está agradando, mas foi um prazer conhecê-las.
Ele era gentil, mas algo nele não condiz com que ele fala. As meninas chegaram e nós fomos almoçar. Depois fomos para o shopping, claro que o Alexy não pode faltar. Ficamos maravilhada com o novo penteado da Jenna. A Nina a ajudou a diminuir com o preto e começar a usar roupas mais coloridas.



- Nossa! - exclamou o Alexy sorrindo. - Esse vestido ficou ótimo em você e essa aparência também.
- O-obrigada. - disse vermelha.
- Meu irmão vai adorar. - e ela ficou ainda mais vermelha.
Foi divertido passear no shopping, mas houve um momento enquanto eu ia no banheiro e encontrei com a Debrah. Não sabia que ela me seguia. Puxou-me para o sofá e não deixando-me sair contando toda a história do seu passado. Eu jamais pensei que ela era tão esperta a esse ponto.
- Por que contou-me isso?
- Hum... para você conhecer melhor o Castiel.
- Hã? Não entendi. - disse estranhando essa resposta.
- Logo saberá. - e sorriu. Não gostei disse. Sai de lá muito chocada e as meninas indagaram se eu passava mal e eu disse que sim, pois havia demorado muito. Então fomos para o apartamento.
(Iniciozinho do episódio) Não consegui dormir direito a noite. Não sei qual é o plano dela, mas não estou gostando. Será que ela irá me separar de Castiel? Ao pensar isso meu coração apertou-se e eu contorci-me virando-me uma bola debaixo do lençol sem fazer barulho para não acordar a Jen, entrei no banheiro e chorei bastante.
No dia seguinte fui para a escola e não vi o Castiel novamente. Sem a presença deste Ken começou a se aproximar mais de mim. Estava regando as plantas no final de todas as aulas e ouvi passos. Será que é o Castiel ou o Jade? 
Virei-me e vi que era Yuri. Ele estava sem o óculos e parecia outra pessoa. Eu senti medo, mas tentei me controlar, pois achei que já estava delirando por causa de Debrah.
- Olá Euphi-chan. 
- O-oi, Yuri-san.
- "Kun", por favor. 
- Ah... sim, como quiser. O que lhe trás aqui?
- Bem... eu gostaria de saber se não quer sair comigo? - assustei-me com aquela atitude.
- Eu... tenho um namorado.
- Não podemos sair como amigos? 
- Ah... c-claro. - tentei sorrir. 
- Então nos encontramos em frente ao Fraçoais. 
- Tudo bem então. - concordei, mas não sorrir. Era o mesmo restaurante que fui com Nathaniel uma vez. Ele deve ser rico. Logo Ken se aproximou de mim cumprimentando-me.
- Oi Euphimea. Precisa de ajuda?  (Ele pode ser um grosso, mas comigo sempre foi muito gentil, no jogo. u.ú)
- Se você quiser me ajudar a arrancar as ervas daninhas, pode.
Ele estava de tênis, a calça era a mesma e de avental como todo mundo usava no clube de jardinagem. Se abaixou e foi arrancando o mato com uma facilidade fazendo a terra abrir em enormes buracos me deixando de boca aberta. Isso fez-me lembra de quando Ken era menor e não conseguia arrancar nada. Agora ele arrancava 4 delas com uma única mão e numa facilidade incrível. 
- Ouch! - exclamou por se cortar em um roseira. Não deixou de ser estabanado. 
- Deixa eu ver. - falei me aproximando com um balde de água. Ele se levantou e abriu a mão para eu olhar. Sangrava e fui buscar um pouco de água para lavar a sua mão. Depois peguei um curativo e coloquei conversando com ele: - Lembra quando você tentou arrancar uma erva e não conseguia?
- Arg, lembro. - disse como se odiasse aquela época e eu sorrir. 
- Foi engraçado porque o seu óculos voou longe e eu tive que buscá-lo, pois sem eles você não enxergava nada. E quando você abriu os olhos eu...
- Você o quê? - indagou querendo saber com a voz levemente doce.   
- Percebi que você tem belos olhos claros. - respondi arrependida e tentando disfarçar, voltando para a estufa para adubar as plantas. Ele veio atrás de mim e eu me arrepiei, pois iria haver uma aproximação da parte dele. 
- Euphi? - chamou ele bem atrás de mim. Agora a sua altura era a mesma de Castiel e Jade. Seu corpo era maior também, não era mais franzino. Eu tinha um ponto fraco por homens bonitos e fortes. Mas como amava demais o Castiel (agora eu o odeio. u.ú aquele orangotango das cavernas) não virei-me para falar com ele. - Eu... s-sempre lhe achei muito bonita. - começou ele. 
"Não, por favor. Não comece a dizer essa palavras." - implorei em pensamentos. Tocou nos meus braços delicadamente e com isso acabei virando-me. Quando isso aconteceu seu corpo estava tão curvado que seu rosto era da mesma altura que o meu. Mas ele fez de um jeito que não tinha como sair dali, pois segurava meu braço direito com o seu em um semi abraço e do meu lado esquerdo estava o seu rosto. Sei saída deixei-o beijar-me. - E-eu queria muito fazer isso. - sussurrou antes de beijar-me. 
Era doce, gentil, suave e demorado. Meu coração batia-me alucinado. (Tenho o direito de beijar meu nenê vigi. u.ú) Como eu imaginava ele era completamente diferente de Castiel e Jade. Parecia que tinha receio de alguma coisa. E mesmo com aquele tamanhão todo, ainda era um pouco desajeitado, como se não estivesse acostumado com aquele corpo. Depois deu-me um abraço sem apertar com receio de me machucar com a sua força. Depois de me soltar ficou corado e disse saindo:
- E-eu vou levar esse saco de adubo para colocar nas árvores frutíferas. - com isso pegou o saco só um braço. Eu lembro que ele mal conseguia carregar aquilo e agora parecia leve em usas mãos. 
Depois do beijo, Ken ficou um pouco constrangido e resolveu me evitar. Eu não me importei, pois parecia que ele sofria. Ou tinha medo de alguma coisa. 
De noite na hora do encontro com Yuri, estranhei dele demorar e ao invés dele aparecer. O primeiro acontecimento esquisito, foi que Fraçois estava fechado para balanço. o Segundo foi que  Kentin quem apareceu.  
- Oi Euphi. - disse ele todo arrumado de terno. 
- Oi Kent... você veio ter uma encontro também? - indaguei confusa.
- Hã? Mas você não mandou um recado para encontrar-me aqui? 
- Eu? Não fiz nada disso não. 
- B-bem... então eu-eu vou embora. - falou ainda corado virando-se.
- Kent, espere um pouco. - pedi estranhando. Aquilo me cheirava armação. - Cuidado, pois alguém armou para nós. Então alguém bateu na cabeça de Ken o apagando e assustada procurei que era, mas antes de ver  também levei.
Quando finalmente acordei, senti uma enorme dor na cabeça. Levantei a mão para tocar e havia um galo. Senti o suor de outro corpo perto do meu e percebi que estava nos braços de Kentin, nua e em uma cama. 
- Hã! O-o que aconteceu? - gaguejei envergonhada olhando para ele que estava deitado de frente para mim. - Kentin? Acorde. - sacudi e ele não acordou. Sua pancada deve ter sido bem forte para ele não acordar. - Preciso sair daqui. - disse o emburrado, mas ele era pesado demais e não consegui me mover. Colocaram seus braços de um jeito que era como seu estivesse em uma jaula, que nem por baixo conseguia sair. Então a desgraça aconteceu.
- EU NÃO ACREDITO NO QUE ESTOU VENDO! - gritou Castiel entrando no quarto. - NÃO POSSO FICAR ALGUM TEMPO RESOLVENDO AS COISAS QUE VOCÊ JÁ ESTÁ NOS BRAÇOS DE OUTRO EUPHIMEA!
Os gritos foram tão alto que acordou o Kentin. Castiel não sabia que era ele e este ficou muito sem graça ao notar a situação.
- E-eu... não lembro de nada. - foi o que disse como se tivesse realmente feito alguma coisa depois de bebido. 
- EU VOU LHE MATAR! - gritou ele e eu enrolada no lençol fiquei em pé na cama entrando na frente dele. Ken ficou branco e morrendo de vendo de Castiel. Não sabia desse pânico dele não. 
- Castiel, me escuta! Não é nada disso que você está pensando!
- Acho que além de matá-lo, irei matar você também! - disse socando a palma da sua outra mão. 
- NÃO TOQUE NELE! - gritei o fazendo parar. Notei que ele usa as mesmas roupas da foto que ganhara da Rosaly. - Pode me ouvir um pouco?
- Eu... não esperava isso de você. - com isso deu as costas e foi embora. O seu rosto era de dor e eu cai sentada sobre os calcanhares sobre a cama. Comecei a chorar.  Veio tudo ao mesmo tempo, dor, medo, vergonha e vontade de morrer. 
- Er... Euphi? - chamou Kentin com uma voz de pena. Senti as pontas dos seus dedos hesitarem em tocar meu ombro direito. Não me importei e continuei com o rosto enfiado no lençol chorando. Ele tocou em meu ombro e como viu que eu não liguei, se aproximou mais abraçando-me e encostando a cabeça nas minhas costas. - Então... o Castiel era o seu namorado...
Eu vi o mundo a minha volta se desmoronando. Havia caído em uma armadilha perfeita. O pior que envolveram o pobre Ken. E de repente aquele medo e desespero deu-se lugar a um ódio. A Debrah, irá me pagar muito caro.
- Você não merecia isso Kentin. - disse enxugando as lágrimas. - Acho que você sofreu demais para se meter nessa confusão.
- Eu... sei fui azarado mesmo. - respondeu com a voz cheia de dor.
- Agora que a Debrah conseguiu o que queria não faz sentido deu está aqui ainda. - disse levantando-me carregando o lençol e não atrevi-me a virar. Peguei minhas roupas e segui para o banheiro vesti-me.
Quando sai, Ken ainda sentado na cama, mas de roupa, olhava para o chão. Ele estava muito envergonhado  e confessou:
- Eu nunca tive uma namorada. 
- Bem... eu imagino... nem na escola militar?
- Nem na escola militar. - respondeu. Aproximei-me dele e coloquei-me a sua frente.
- Se quiser... pode me dar um abraço. - disse corando. Ele não pensou duas vezes e só faltou me esmagar com o abraço dele em minha cintura  e encostando o rosto na minha barriga. Eu também tinha vergonha pelo o que aconteceu e não tive coragem de contar para as minhas amigas o que aconteceu, muito menos para a minha irmã. Mas eu tinha que me vingar da Debrah. - Vamos embora Kentin? - indaguei oferecendo a mão e ele a segurou. Só tinha tamanho, pois ainda parecia uma criança.
O lugar onde estávamos era um apartamento de um quarto e sala daqueles bem fuleiros, parecendo de filmes americanos. Descemos as escadas e fomos em direção a uma parada de ônibus peguntar onde estávamos. Ainda bem que não era muito longe da escola e logo chegamos.
- Eu vou para o apartamento dos meninos e trocar de roupa. - falou ele assim que descemos do ônibus. Fiz o mesmo, pois estava arrumada demais para ir a escola. Mal entrei no quarto e fui surpreendida pela a Jen:
- E ai? Como ele é?
- Hã? - indaguei esquecendo-me que ela não sabia de nada. - Ah! É um cara bacana, mas só um amigo. - respondi como se tivesse falando de Ken.
- É mesmo? Eu não gostei muito dele no começo não... onde você dormiu? - indagou ela estranhando. Corei na mesma hora e fiquei toda embaraçada tentando explicar.
- Er... bem não sei o que aconteceu, que eu acordei no sofá da casa dele.
- Hum... melhor se afastar desse cara. Ele deve ter lhe dado um "Boa Noite Cinderela."
- Deve ter mesmo.
- E... não... fez nada contigo? - indagou se referindo a sexo.
- Ah! Não, não mesmo. - respondi corada ao lembra-me abraçada com o Ken na cama. - Vou tomar banho.
- A senhorita está muito atrasada para a aula.
Só em Sweet Amoris permitem alunos transferidos no final do ano. Claro que era uma escola diferente, mas isso é estranho. Enquanto banhava-me pensava como iria me vingar da Debrah. Vesti e fui tomar café.
- Você está muito assanhada!- exclamou a Anny batendo as duas mãos na mesa, levantando e chamando a atenção das meninas. Eu corei e ela também sentando. - Como dorme de novo fora do apê e sem ser na casa de Castiel? - não respondi e fui defendida por Aikka.
- Deixa ela Anny.
 Chantilly não falou nada para não me prejudicar, admito que depois dessa sumida ela voltou bem diferente. Antes qualquer coisa abria a boca, mas agora ela quase não falava. Por que será?
Fui para a escola  e para minha surpresa encontrei com a Debrah. As meninas foram falar com seus namorados.
- O que você está fazendo na escola? - indaguei aborrecida.
- Eu vim ver meus velhos amigos não posso? - se aproximou e cochichou no meu ouvido. - Foi boa a noite?
- Sua... foi tudo armação, não foi? - indaguei baixo para ninguém perceber.
- Óh! Como você pode pensar algo horrível de mim? - fingiu e eu dei um passo para trás. - Você não irá ficar com o Castiel, acredite.   ( Preciso criar uma estratégia)
- Então está certo. - fingi não me importar.
Na hora do intervalo e depois das aulas a segui por toda parte. (Acha PAs. ¬¬')  Volta e meia a perdia de vista e perguntava onde ela estava. As meninas me perguntaram o que era e eu disse que era uma vingança.
- É isso mesmo! Não deixei barato não para aquela vaca leiteira! - exclamou Anny animada.
Obs1: Agora vou escrever o jogo e as meninas não iram participar, nem os garotos que criei.
Obs2: Não lembro muito bem do dialogo então vou escrever mais ou menos o que entendi.
As pessoas começaram a achar que eramos amigas e de tanto segui-la comecei a irritá-la, ela virou para mim e disse:
- Melhor parar com isso, se não  você irá se arrepender ainda mais.
- O que foi? Não está gostando? (Fiquei feliz por meu plano dar certo)
- Ah, então é assim... Eu pensei que eramos amigas! - levei um surto por mudar de atitude tão rapidamente.
- C-como? D-do que você está falando?
- Por que você está brigando comigo? Eu não lhe fiz nada. - e começou a chorar. Como ela consegue fazer isso? 
- O que está acontecendo aqui? - indagou Alexy chateado.
- A-a Euphi está brigando comigo.
- Não... ela... está fingindo. 
- Eu não esperava isso de você. Era uma pessoa tão legal. 
- Também acho. - concordou Viollate. - P-por que você discutiu com ela? 
- Eu não fiz nada disso!
- Olha, está gritando comigo! 
- Venha Debrah, se acalme. - pediu Alexy. Eu fiquei chocada com aquilo. Eles colocaram ela sentada no chão a consolando e esta levantou a cabeça dando um sorriso pra mim. Eles não perceberam, apenas eu. 
Senti tanta vergonha que foi para o pátio e não atrevi-me entrar na escola. Resolvi dar um tempo. 
Fiquei andando por ali até parar no vestiário. 
-" Aqui é um bom lugar. Ninguém irá me ver." - pensei.
- Euphi? - indagou Lysandre aparecendo e sentando ao meu lado.
- L-lysandre! E-eu não sabia que você estava aqui.
- Estava lhe observando de longe e lhe vi entrar aqui. Aconteceu alguma coisa?
- (Contar-lhe a verdade) 
- Entendo... a Debrah está fingindo que você a maltratou e Alexy e Violatte estão a consolando agora. Já podia esperar isso dela. 
- Então... você acredita em mim? (T.T Ly lindu!)
- Sim. (fazendo aquela carinha fofa.) Eu sei que você não seria capaz de fazer uma coisa dessas.
- Fico feliz em saber disso. E agora o que eu faço? Não me importo como você faz?
- Bem... conhecendo bem você, acho que não teria essa capacidade não. 
- Ah... foi o que eu imaginei. - e abaixei a cabeça. 
- Você sabe o que eu fez nas férias? -indagou de repente querendo me animar.
- Não sei... escrevendo?
- Adivinha o quê?
- Uma música.
- Isso mesmo. Estava escrevendo uma nova música. E eu se fosse você iria para casa descansar.
- Acho que irei fazer isso sim. 
Ele entrelaçou os dedos nos meus com um leve sorriso no rosto. Não sabia que ele era uma pessoa tão legal.
- Isso é para você se acalmar um pouco. Sempre funciona, pois sabe que não está sozinha. (T.T eu quero ele pra mim. Evidente que não aconteceu isso, mas eu senti como se tivesse.)
- P-por que não escolhi você Ly? - indaguei levemente corada e reconfortada por ele.
- Acho que é porque você nunca reparou em mim.
- Agora você namora a Anny, né? Ela ficará chateada que você me consolou.
- Nada... eu conheço ela e vai ficar furiosa porque você não disse nada para ela.
- Então, tá bom. Tchau Lysandre.
- Tchau Euphimea, e boa noite.
Resolvi dar mais um tempo no pátio e encontrei o Kentin no ginásio. Ele ainda estava desconcertado com o que aconteceu.
- O que aconteceu? 
- Não aconteceu nada. Não precisa se preocupar.
- Pelo contrário. Quando as pessoas me zoavam na nossa antiga escola eu vinha correndo e desabafando contigo.
- Não era bem assim. (Eu respondi a errada)
- Gentileza sua, mas eu estou bem e vou embora. (Depois da virgula não entendi muito bem o que a docete disse)
- Como quiser. 
Fui para casa seguindo o conselho de Lysandre e gostei muito dele me consolar. Mas antes vou comprar umas roupas diferentes. No dia seguinte a escola inteira olha para mim encarando-me. O que será que aconteceu?
- Olá, Iris bom dia! Sabe o que está...
- Desculpe Euphi, eu não posso falar com você agora. - e saiu me evitando. 
Não somente ela, mas todos começaram a me evitar. Entrei na sala de aula e dei de cara com Armin que disse:
- Olá torturadora.
- A-armin...
- Parece que você se deu mau Euphi.
- ...
- Vamos... responda alguma coisa! Reaja! Diga algo do tipo como ABC, só vive pelos corredores, estão todo mundo do colégio contra você. 
- Não estou com animo para isso. (resposta errada)
- Náh, fala sério. Eu só estava brincando. 
Eu preciso desfazer esse  mau entendido. Sai da sala e encontrei com a Rosa que acreditou em mim, pois  Ly  já tinha falado com ela. Disse que tem algumas informações e me puxa para sala, pois ninguém poderia ouvir e lá dentro encontro com Castiel.
( Devido o que aconteceu na fic não posso colocar o diálogo, só posso disser o que aconteceu. Castiel com aquelas roupas bregas. -isso para agradar aquela vaca!- A docete fica com ciúmes e começa a brigar com ele.Ai a Rosa nos interrompe, pois Castiel não quer sair da sala e agente continua brigando. Ela me puxou para fora e diz que existe um blog e que um ex guitarrista sabe do que aconteceu no passado, mas ele mora no exterior e blá, blá. Mó encheção de linguiça. Resumindo, vc não quer esperar a Rosa arrumar outra ideia e pede para você esperar.)
Quem será que pode me ajudar? Até a Rosa voltar essa situação pode piorar. Ah! Já sei irei falar com Nathaniel.
- Nathaniel preciso falar contigo.   
- O que você precisa me dizer, Euphi?
- Poderia me ajudar a provar para todo mundo que a Debrah é uma falsa?
- Sinto muito, mas isso não posso fazer.
- Como não? Você mesmo me disse que quando precisasse de ajuda poderia contar contigo!
- Mas não nesse caso. Melhor você ignorar isso logo vai passar, as pessoas iram esquecer do que ter uma pessoa lhe odiando.
- Sim, mas no seu caso foi o Castiel! Eu é a escola inteira me evitando! Você é o único que esteve lá e sabe como ela é.
- Não posso ajudar. - e sai da sala. (ôh... coisa inútil u.ú, e ainda não sei como a Aikka ainda diz que esse menino é perfeito.)
Ele é a única pessoa que poderia me ajudar, mas... espere um pouco. Existe uma pessoa que era daquela época e que talvez poderia me ajudar. A Ambre.  
- Ei Alexy! Você viu a Ambre? 
-  O que vc quer com essa garota? Você foi a primeira pessoa que conversei nessa escola e que me ajudou. Eu te amo muito. Você cometeu um erro e logo ira passar, mas se tornar amiga dessa garota você irá perder. (Esse amor não é reciproco. u.ú)
- Só preciso falar com ela.
- Melhor não Euphi.
Perguntei para todo mundo sobre a Ambre inclusive para o Ly.
- O que você falar com essa pessoa?
- Pedir ajuda para ela. (Resposta errada, não sei se a certa seria: Inimigo do meu inimigo é meu amigo)
- Acha mesmo que a Ambre é um tipo de pessoa que irá lhe ajudar?
- Mas eu preciso resolver essa situação!
- Você é realmente teimosa.
(Perguntei para o colégio inteiro e não a vi. Encontrei com Armin no ginásio. Diálogo interessante que eu tive com ele.
- Por que você está usando essa roupas?
- Porque compre para agradar a uma pessoa.
- Essa pessoa tem um irmão que gosta de ir as compras?
- Não. Ele é filho único. 
- Ah é mesmo? Ele usa roupas esquisitas.
- Não diria esquisitas, ele é um pouco roqueiro.
- E o que mais?
- Também tem um cachorro, sabe. Eu gosto muito dele.
- Ah! Já sei quem é. )
Voltei para a sala de aula e encontrei a Ambre lá e disse:
- Pela primeira vez estou feliz em ver você.
- Que sorriso bobo é esse? O que você quer?
- Bem... eu vim saber se você não poderia...
- Não vou lhe ajudar se é isso que veio lhe pedir. (Vaca!e.e)
- Mas se ficarmos juntas podemos derrotar a Debrah e desmascará-la, afinal você também odeia ela.
- Não vou me juntar com alguém que a escola inteira odeia. Você está por baixo agora, queridinha. Além do mais eu tenho amigas para me ajudar. Até logo.
- Acho que não foi uma boa ideia. - então sai da sala e dei de cara com Nathaniel aborrecido.
- Você não deveria ter pedido ajuda a minha irmã. Agora complicou tudo. Olha, melhor esquecer, está bom.
- VOCÊ É UM COVARDE QUE NÃO RESOLVEU SEUS PROBLEMAS NA HORA E AGORA VIVE BRIGANDO COM O CASTIEL! EU NÃO SOU IGUAL A VOCÊ! (Isso é verdade a nossa docete fala isso para ele e não é opcional não. u.u Eu adorei!*w*)
Sai para o pátio e encontrei com a Penny, com isso tive a ideia de comprar um gravador para gravar uma conversa com a Debrah. Comecei a procurá-la.
- Você viu a Debrah, Ly?
- Primeiro a Ambre, agora a Debrah. Gostaria de saber o que se passa na sua cabeça. 
- Já tenho uma ideia para desmascará-la.
- Tenha cuidado. 
Eu a encontrei na sala de aula de começamos a conversar. Ela falou baixinho como se estivesse desconfiada. Não consegui arrancar nada dela, quando dei as costas ela pulou em cima de mim e arrancou o gravador.
- Hum... que interessante. Acho que a Peggy irá adorar ouvi isso aqui.
Corri atrás dela na escadaria e pedi o gravador de volta, mas Debrah entregou a Peggy. E agora terá uma matéria minha amanhã. Desanimada voltei pelo corredor e vi a Ambre com um balde d'água na mão. 
- O que você vai fazer com isso?
- Não lhe interessa. Saia da minha frente.
Preciso saber o que ela irá aprontar. Fui em direção ao pátio e encontrei com o Ken.

- Você viu a Ambre?
- O que você quer com ela? Ser amiga? 
- Não é nada disso, mas tarde lhe explico o que é. 
- Cuidado, tem muita gente na sua mira, se te verem com a Ambre, você está fodida! (No AS ele diz isso mesmo. u.u )
Voltei pelo corredor e encontrei com Lysandre novamente.
- O que foi dessa vez? Parece aflita.
- Eu preciso saber para onde foi a Ambre.
- Você ainda está querendo falar com essa garota?
- Ela está com um balde e pode machucar alguém. (resposta certa)
- Eu a vi perto da escada. 
Ela diz que irá subir para o segundo andar e eu irei segui-la. Se aproxima da janela e joga a água, mas o balde lhe escorrega da mão e cai na cabeça de Debrah. Corri para a janela, para saber o quem ela acertou, mas as pessoas me viram e acharam que era eu. Olhei para trás de a Ambre havia desaparecido.
"Ding Dong" Senhorita Euphimea quera comparecer no corredor para falar com a diretora. Eu desci e a encontrei no corredor principal ao seu lado Debrah toda molhada. Ela fedia e eu me segurei para não ri.
-Poderia me explicar isso?
- N-não foi eu. Foi a Ambre que...
- Diretora, desde que eu voltei para essa escola a Euphy não para de me incomodar. (Cachorra velha! ó.ó)

- Não foi eu diretora! Eu juro! 
- Deixa de mentirá Euphimea! Terei que falar com os seus pais! E se não respeitar a senhorita Debrah, levará uma suspensão.
- Mas, eu... - então elas saíram e eu vi o Castiel. - ... ah não. - Olha Castiel, não foi eu, estava em um lugar errado numa hora errada.
- Parece uma criança de 5 anos de idade! Poderia machucá-la sabia? - ele dá as costas. (como eu odeio esse orangotango das cavernas. u.ú) Ele foi para a escadaria e eu corri para falar com ele.
-  Castiel, me escuta por favor, eu não fiz nada! Vc sabe disse. Eu te amo. (Chocada nessa hora. O.O) E você precisa saber que o que eu digo é verdade! É tudo armação da Debrah, você precisa acreditar em mim. Ela é mentirosa!
- Sei, você estava na cama com outro e foi a Debrah que fez tudo. Assim, do nada, carregando seus corpos e os despindo.
- Não tinha pensado nisso, até que é possível.
- Até parece que ela teria força pra carregar um homem também. Acha que eu sou babaca?
- Ela teve ajuda de alguém, eu tenho certeza!
- PARA DE FICAR INCOMODANDO AS PESSOAS QUE EU GOSTO! NÃO VENHA FALAR MAIS COMIGO! FINJA QUE EU NÃO EXISTO TÁ LEGAL! ACABAMOS POR AQUI.
- C-castiel... - meus olhos se enxeram d´água e eu fugir dali. Meu coração doía muito e eu presava ir embora imediatamente. Era o fim da linha para mim.
- Euphimea? - era a voz de Lysandre. 

- Não é nada...
- O que aconteceu? Por que você está chorando? ( owwwnnnn! Tão kawaii! *W*)
- "Sniff... sniff" O Castiel... brigou comigo...
- Ele deve ter respondido assim porque estava nervoso.
- Não... ele... brigou comigo de verdade... ele não quer que eu me aproxime dele... não vai mais falar comigo. A gente terminou.
- Hum... vem cá. - com isso me puxa para o peito dele. (*¬* ~Mi gusta~ Eu chorei de verdade com isso. T.T Ai vem a foto)
- Euphimea, eu não quero mais lhe ver chorando. Não gosto disso, pois você tem um sorriso tão bonito. Vai pra casa descaçar um pouco. ( Ly é tão maduro, tão sábio, tão carinhoso... tão... tão... tudo. T.T)
Eu: O-obrigada. 
Assim q fui embora e encontrei a Rosa  (tipo depois de vc está lascadona ¬¬*) e diz que tem um ótimo plano p/ me se vingar da Debrah... 
E acaba o ep. e.e


                                          (Dedico esse video a Lysandre. Não fique com raiva Anny. T.T)



 






       
 


  











  

{ 28 comentários... read them below or Comment }

  1. Own euphi ! Nesses dias nem tive tempo de mandar personalidade e as caracteristicas pra entrar na fic , nem sabia que tava nela . Muito Obrigada mesmo *---* Queria ficar com Ken já que ele está disponível =D

    ResponderExcluir
  2. Debrah vaca leiteira ó.ó e castiel orangotango das montanhas, ele tem vocação pra ser corno e trouxa em acreditar na debrah .
    não consigo ficar com raiva de ti marida U.U
    sei que o lys é tudo isso e um pouco mais *u*
    *baba no lysandre*

    ResponderExcluir
  3. Euphi vc também gosta de La Corda d'Oro eu amo esse anime amo mesmo!

    ResponderExcluir
  4. Yooo...Amo sua Fic, muito perfeita..^u^
    Oh Euphi que triste ter acontecido isso entre vc e o Cast...T-T
    Debrah aquela vaca... 'run
    E que kawaii o Ly...*o*
    (#Ichigo)

    ResponderExcluir
  5. OMG....Castiel é um Senhor Banana q não acreditou em vc! Amei q vc me colocou na fic. Mto shooooow

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Banana é o nathaniel U.U o castiel esta mais para orangotango das montanhas.
      O lys é o único decente ó.ó

      Excluir
    2. Correção, é orangotango das cavernas marida. u.u

      Excluir
    3. ah sim é das cavernas ó.ó obrigada pela correção marida. U.U
      eu misturei com o ogro das montanhas .

      Excluir
    4. Ele é duas coisas e ainda por cima não evoluiu aquele homem das cavernas. ¬¬* Tinha que ser um primata mesmo.

      Excluir
  6. Adorei ficou muito legal se quiser dar uns socos na Debrah conta comigo!

    ResponderExcluir
  7. ~le pensando sera que eu to nesse capitulo ?

    muito obrigada ( origatou )

    ResponderExcluir
  8. ai vlw euphi ,to muito felis por ta na fic
    cara o castiel é um bocoio devez enquanto viu meu Deus

    ResponderExcluir
  9. euphimea eu vi as tuas fics e adorei aquela q tem a Helena
    pq vc nun posta mais ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Helena? Que Helena?
      Não lembro de fic que tenha esse nome não. ¬¬'

      Excluir
  10. esse aki ó http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=9&cad=rja&ved=0CGsQFjAI&url=http%3A%2F%2Famordoceumahistoriaspararecordar.blogspot.com%2F2012_09_01_archive.html&ei=aSXGUO_tM4rPigL8tYHYAg&usg=AFQjCNG7-gM6q5YQbkarhOx_ETjw3X0AWw

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah! Essa fic não é minha. Só participo dela.^^
      O povo me ama sabe. u.u

      Excluir
  11. Aí que ódio da debrah. Ela é tão chata. Tão falsa.
    Dá vontade de esganar ela. Mas sei que você vai se vingar dela. E ela vai ver quem vai dançar sem música. Rs

    Adorei o episódio. Muito muito emocionante.
    Bis até mais

    ResponderExcluir
  12. eu ja to no 15 eu ja acabei mais to esperando o capitulo 16 e essa debrah é muito sinica ele engano o castiel na cara dura e ele ainda defende ela q odio

    mais todo mundo sabe q vc vai se vigar dela

    ResponderExcluir
  13. Debrah, vaca véia...
    Euphi, se abrirem vagas pra novos personagens, você avisa aonde?É que eu visito a fic faz pouco tempo...E não sei onde contatar nem nada.

    Thanks, viu!

    ResponderExcluir
  14. Estou lendo a minha fic desde o começo para saber o que eu escrevi, pois eu não lembro. ^^'

    ResponderExcluir
  15. Que raiva da Debrah se precisar de alguem pra dar uns socos nela conta comigo!

    ResponderExcluir
  16. Euphi! Acabei de perceber q a ficha que vc recebeu da Kushynna tá errada, foi uma amiga noob que enviou no meu lugar, a verdadeira é essa ó:
    "15 anos, 1,75. Muito Louca, animada, destrambelhada, ama cantar e toca guitarra. É rockeira e é Otaku (vê principalnte Death Note). Matou seus pais com uma katana"

    Desculpa todo o transtorno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem coisas que eu não coloquei, pois achei muito macabro. Isso aqui é uma história feliz e não de terror. Muito menos aquela porcaria de DN.
      Está bem? Obrigada pela compreensão.

      Excluir
  17. Ameii !!
    Eu qeria qqe a Debrah fosse atropelada por um caminhão ,caisse de um barranco e fosse engolida por uma cobra (maiis eu nao sei se a cobra iria engolir ela pk a cobra poderia morrer com o veneno da Debrah)
    Esperanddo ansiosa pelo proximo cap. o.o !!
    Bjz..

    ResponderExcluir
  18. gostei do seu blog tem muitas coisas legaseu li um pedascinho e gostei muito
    o garoto mas lindo e o derek pela minha opinio.

    ResponderExcluir
  19. eu juro quando meu pai viajar vou emprimir essa Fic toda e vou ler todo dia até não aguentar mais *u*

    ResponderExcluir
  20. http://amordocerenesmee.blogspot.com.br/
    minha pagina compartilhem por favorrr meninas

    ResponderExcluir

Por favor não me cobrem quando irei postar.
E por favor respeitem as opiniões e não comentem coisas que podem ser construtivas, pois elas soam como critica.
Obs: Essa ideia é protegida pela lei 9610 de 19/02/1998, qualquer cópia ou rescrição da mesma como plágio, repete a punição conforme consta em lei.
Ou seja, eu sou a criadora, eu sou a única dona.

- Copyright © Amour Glacé - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -