Popular Post

Posted by : Euphimea domingo, 6 de janeiro de 2013





Dizem que todas as pessoas possui uma "Caixa de Pandora" dentro de si e em um momento da vida pode ser violado. (Skip Beat - Love Me) A minha foi aberta e agora eu tinha várias sombras demoníacas em meu redor. Eu fiz tudo por ele e o que eu ganhei em troca? Nada. Absolutamente nada.
. Ly contou para a Anny que contou para as meninas.
- Por quê?! Você não nos contou nada! - gritou Anny
- E-eu não queria que vocês ficassem preocupadas e com pena de mim.
- Baka! - gritou novamente e me abraçou só faltando me esmagar. - Amigas é pra isso! E as demais me abraçaram em coletivo. Fiquei emocionada.
- Plano 1! Vamos destruí a  Debrah! - exclamou Anny serrando o punho como se fosse socar alguém a cima da sua cabeça. - Aquela vaca vai ver só!
- Isso mesmo por ter roubado o Castiel de você. - concordou Kelly.
- Se for preciso eu a mandarei para a cova com uma escadeada na cabeça dela. - disse Jen com muita raiva.
- Vou lhe ajudar só porque ela enganou meu Nathazinho. - choramingou a Aikka.
- Poxa, só por isso? - indaguei chateada. Ela sorriu sem graça e me abraçou:
- He, he. Desculpe. Por ser minha amiga também... eto... você entendeu.
- Tá bom . - sorri com o seu embaraço. - Já entendi.
- Euphi-chan... você sabe que vingança não é boa... atrai Gobblins.
- Você vive me dizendo Chatilly, mas até agora eu não vi nenhum. E aliás... de que lado você está?
- Bem... do seu...
- Então me ajuda ué! - briguei com ela.
- Desculpe. - disse uma menina de óculos de olhos iguais do Ly. - Eu acabei ouvindo a conversa com relação a vingança. As meninas olharam para ela, e como era da minha sala sabia que seu nome era Kloster.
- Ah, olá Kloster. - disse eu sem graça por sua intromissão.
- Vocês vão se vingar de quem? Por um acaso é de uma loira feia?
- Ah, a vaca número 2 também terá a sua vez! - exclamou a Anny fazendo um "v" com os dedos, quase no rosto dela. Kloster emburrou o óculos e disse:
- Eu quero participar seja qual for a vingança. - o sinal tocou a interrompendo. - Bem... os estudos primeiro.
Ela era bem aplicada, parecia a irmã de Aikka. Fomos para a nossa sala, mas alguém tocou em meu ombro era Yuri.
- Você! - exclamei brava lembrando do meu galo, que estava lá mas não doía apenas se tocasse. - Aquilo tudo foi seu plano não é? - rosnei.
- Plano que plano? Eu vim aqui justamente pelo bolo que eu lhe dei, desculpe.
- Poderia ter ligado pelo menos.
- Já havia marcado com um amigo para estudar e meu celular ficou sem bateria, desculpe novamente. - pediu ele muito gentil e muito sem graça. - Mas hoje eu estou livre. - disse sorrindo.
- Vou ver se também estou. - disse eu ainda irritada.
- Ok, vou te ligar.  - com isso foi para a sala dele. Eu continuei parada ao lado da porta, quando senti a presença de alguém atrás de mim. Ele tinha cabelos castanhos avermelhados e olhos azuis, era tão alto que eu me sentia uma anã perto dele. Tinha, 1,87m de altura, depois de Dajan, foi o segundo rapaz mais alto que eu encontrei. (O que é isso a muralha da China?) Ele tinha os lábios carnudos e era incrivelmente sexy, só de olhá-lo as garotas coravam.
- Cuidado com ele, Euphimea. - disse ele com sua voz sedutora, (tipo Kaname Kuran). -"Hã? Como ele sabe o meu nome se é aluno novo e do 3º ano?"
- Obrigada, sempai. - agradeci sem saber o seu nome. Ele deu-me as costas e com a mão nos bolsos de sua calça jeans desbotada saiu para a sua sala e disse sem se virar.
- Apenas Damian.
-"Damian?" - pensei entrando na sala. Ele já era bonito ainda mais com um nome desse.  Entrei na sala e anotei a última matéria do ano. Logo viriam as provas. Os novos alunos não fariam essa prova, pois como foram transferidos de colégio, a matéria não seria compatível. Castiel matou aula novamente. Suspirei e tentei esquecer aquela dor como sempre fazia quando era machucada por alguém, com isso aos poucos sempre tornando-me fria e distante das pessoas.  
Yuri veio falar comigo depois da aula de teatro. Mika estava nos observando e eu dava alguns passos para trás por ele invadir meu espaço, sempre perto de mim. Segurou no meu cabelo e indagou :
- As 19hs?
- Sim. - disse desanimada, pois estou de saco cheio desses meninos me chamando para sair. Assim que ele foi embora ela veio falar comigo.
- Er... Euphimea, né?
- Eu mesma. - respondi surpresa.
- V-você está interessada nesse rapaz que veio falar contigo?
- O Yuri? Não. Por quê? - então ela corou e eu notei que ela se interessara nele.
- Nada não.
- Depois eu os apresento. - disse eu sorrindo.
- Obrigada. - agradeceu ela me abraçando e deixando-me com inveja da macies de seus seios. Preparei-me para ir embora, pois se eu encontrasse com Castiel iria me fazer muito mau. Quando passei enfrente a sala da diretora apenas ouvi Len dizendo:
- Então providencie. Já que eu estou nessa escola medíocre que pelo menos tenha um local decente para tocar.
- S-sim, senhor Tsukimori-kun. - gaguejou a diretora, eu nunca a vi daquela maneira. Assim que saiu deu de cara comigo que espiava.
- Saia da frente, você está no meio do caminho. - eu pus-me de lado e o deixei passar.  Fiquei espantada tamanha grosseria dele, mas não disse, pois estava sem animo.
- Quer falar comigo dona Euphi e pedir desculpas para a senhorita Debrah?
- Nunca que eu irei fazer uma coisa dessas! - exclamei furiosa.
- Então, um dia de suspensão.
- O quê?! - exclamei ficando branca. - Você não pode fazer isso.
- Sim, eu posso e aqui está. - disse ela dando-me o papel para levar para Nathaniel carimbar. Nunca que eu fui suspensa, os professores e os diretores ou coordenadores me amavam,  mas essa velha... a Debrah deve ter comprado ela, só pode! Entrei na sala de representantes e Nathaniel estava sozinho.
- Ah... se não é a "senhora encrenca". - zoou ele deixando-me ainda mais triste e de repente comecei a chorar. Nat ficou envergonhado e disse: - D-desculpe Euphi, eu não sabia que iria machucá-la...
Assim que se aproximou eu o abracei com força amassando o papel em minhas mãos. - O que aconteceu? - indagou novamente passando a mão na minha cabeça. Eu afastei-me e entreguei o papel a ele que o deixou passado. - V-você f-foi suspensa por um dia! E-eu nem sei o que dizer. E com isso abraçou-me novamente com muita força. Aquele sentimento que ele tinha por mim ainda era latente e tentou fazer-me gosta dele novamente. (como sempre faz. ¬¬')
( Num disse. u.ú Sou irresistível. Mas eu não gosto de você, esse amor não é recíproco.u.u)
( Ai eu escolhi  fazer dupla com Lysandre e o restinho do roxo do meu loveo com o Nat caiu mais ainda. O.O - 77% recorde!) ??? (Decida rapa! Ou você me ama, ou me odeia, criatura! Euphi a disputada.)

Deixei-o me abraçar, afinal não tinha força para empurra-lo quando Aikka abriu a porta.
- O-o que está acontecendo? - ele soltou-me no mesmo instante. Enxuguei minhas lágrimas enquanto Nat se explicava.
- B-bem... ela estava chorando.
- Por que Euphi? - indagou-me sem estar enciumada. (nunca vi, essa criatura não existe.)
- Levei uma suspensão.
- Sério? - e abraçou-me também enquanto Nat tirava xerox do documento e carimbava o original.
- Bem... isso vai para a sua ficha. - sua voz era chateada. Peguei o papel e fui para o meu armário pegar minhas coisas.
- Esse menino só lhe trás problemas, Euphi. - foi o que Chantilly disse.
- Se não tem nada de bom para dizer, fique calada. - ela ficou chocada com o meu mau humor então novamente senti uma presença gigante ao meu lado. Vire-me e era Damian novamente com a mão na cabeça e o cotovelo no armário, a outra mão enfiada no bolso, apenas os dedos. Seus olhos estava em outra direção parecia sem graça, então eu perguntei: - Estou enfrente ao seu armário?
- Não. - respondeu e olhou me ficando levemente corado. - V-você esteve chorando? Aconteceu alguma coisa?
- Bem... eu fui suspensa. - responde e ele ficou de cara.
- S-sério?
- Você é a segunda pessoa que me diz isso, acha que eu brincaria com uma coisa dessas? - acabei lhe dando um fora de tanta raiva que estava.
- Está certo. - deu de ombros. - Só estava preocupado com você. - com isso abriu seu armário que era o de cima e pegou os livros colocando dentro da mochila e jogando-a nas costas. Sem dizer mais nada foi andando. Acho que foi grossa com ele.
- Damian-senpai? - chamei. Ele parou e virou-se fazendo corar, pois colocara um óculos escuro ray ban aviador, para proteger seus olhos claros da luz. - Eu fui grossa com você... desculpe.
- Hu. - sorriu com o canto da boca dando aquele famoso sorriso torto de Edward e voltou pra mim aquela coisa cumprida. - Eu sei que você está estressada. - então curvou-se e deu-me um beijo na testa. Seus lábios pareciam uma pequena almofada tocando em minha pele.
- Aaaaaaaaaaaaahhh! - gritou uma menina. - Você viu isso?
- Vi! Eu vou morrer!
- Por que sempre ela?
- Eu também quero um beijo dele!
- Eu quero na boca!
Ele ignorou o comentário das meninas e se despediu de mim.
- Até mais Euphi.
- Até. - falei ainda chocada. Aquele beijo na testa fez o meu corpo arrepiar-se. Devo admitir que comecei a prestar mais atenção nele. Afinal, o Castiel não era mais o centro do meu mundo. Quando foi a hora combinada tive o meu encontro sai com Yuri sem muita voltade, mas não falou nada, pois sabia do meu estado com relação ao Castiel.
- Vou fazer esquecê-lo. - disse com um belo sorriso no rosto fazendo seu óculos mover no rosto. Eu não conseguia me manter a vontade com ele. Lanchamos no Café Bistrô. Depois fomos andar de mãos dadas, mas de repente eu fiquei zonza e apaguei. Não seu por quanto tempo, mas quando acordei vi Damian sentado em um poltrona olhando com o rosto preocupado.
- O que aconteceu? - inadaguei com a voz pastosa.
- Você quase caiu no golpe Boa Noite Cinderela.
- É, mas eu não tenho nada para ser roubada.
- Bem... Ele poderia se aproveitar de você ou ele pretendia fazer outra coisa.
- Mas... Como você me encontrou?
- Eu estava indo numa loja e lhe vi com ele cambaleando. Depois dei um bom soco na cara dele e lhe trouxe para cá. Já estava começando a raciocinar. Se eu estava em um quarto e ele cuidando de mim, então eu estava no alojamento dos garotos. Olhei para o lado e não vi outra cama.
- Deseja alguma coisa? - perguntou.
- Não, estou procurando seu companheiro de quarto. - ele se surpreendeu e um pouco contrariado disse:
- Eu... Não vim do ônibus.
- Não? - assustei-me.
- Eu moro aqui mesmo.
Eu entendi e quis me levantar ficando zonza de novo. Ele se levantou e dando dois passos já chegou perto de mim me segurando.
- Você ainda não pode se levantar. - disse preocupado. Pegou meu pequeno corpo e deitou- me  na cama novamente.
- Quando esse efeito vai passar?
- Acho mais uma hora passa.
- Está com fome?
- Não. - respondi.
- Vou preparar um lanche pra mim. - e saiu. Acabei dormindo novamente e quando acordei ele ainda não tinha voltado. Sentei na cama esperando voltar a tonteira, mas passou. Porém eu sentia minha cabeça ser esmagada, e parecia que minha cara estava amaçada. Tentei levantar de vagar e consegui sem cair.
- Acho que já posso ir embora. - falei.
Sair andando e abri a porta, escutei barulho de chuveiro. "Ele deve está tomando banho pensei." Andei até a sala e sentei no sofá. Ficaria chato eu ir embora sem agradecê-lo. Então fiquei ali observando o lugar. Era como se ele morasse com a família dele, mas e seus pais? Iriam chegar, ou estava viajando igual aos de Castiel. Fiquei curiosa e comecei a mexer em suas as coisas. Olhei livros, cadernos, revistas, fotos ... as fotos só tinha eles com amigos. Nem uma com a mãe ou o pai. " Seus pais devem morar em algum outro lugar." - pensei de novo. Vi seu notebook na sala e que estava ligado. Será que eu deveria olhar? Curiosa do jeito que eu era o abri e vi uma página de jornal aberta no navegador. A foto do jornal era um pouco velha, mas li a manchete surpresa: "GAROTO DE 3 ANOS SOBREVIVE A UM TERRÍVEL ACIDENTE:"
Fiquei impressionada com a foto do carro destruído embaixo do caminhão e resolvi ler a matéria:
- " Bombeiros ouviram o chora da criança e a tiraram dos escombros se nenhum arranhão. A irmã de 7 anos , e seus pais morreram no local. Ele será encaminhado direto para o hospital e depois se não tiver parentes, para o orfanato. O acidente correu na altura da curva na estrada de nº 70 sentindo ao noroeste. A família iria fazer uma viagem quando tudo aconteceu. O caminhoneiro disse que dormiu no volante e entrou na contramão. Terá que pagar $ 100.000 de indenização e ser processado por Crime Culposo, que não teve intenção de matar.
Vi a foto do menino e ele era parecido com Damian.
- Você acordou? - indagou ele de repente aparecendo na sala secando os cabelos com a toalha, sem blusa e de bermuda preta. Meus olhos percorreram seu corpo fazendo-me corar o surpreendendo e disse: - Certo, eu vim aqui para pegar o meu notebook, que pelo visto você já olhou e iria buscar uma blusa limpa na área de serviço.
- Desculpe! Eu sou uma intrometida mesmo. - sua voz não era aborrecida, aliás nunca o vi assim. Ele era calmo demais, quando disse que socou Yuri não acreditei.
- Eu sou a criança sobrevivente. - disse de repente apontando para o notebook. Fiquei surpresa e boquiaberta.
- Eu... Não sei o que dizer. - balbuciei.
- Está tudo bem. - falou.
- E... Essa casa é sua?
- Da minha vó que também morreu quando eu tinha 15 anos.
- Nossa... Bem recente. Então voce vive aqui sozinho desde então?
- Yep. - respondeu. - Sou emancipado.
- " Igual ao Castiel."-pensei.
- Você dormiu bastante, quer tomar café?
- Hã? Já é de manhã?
- Desculpe pelas curtinas fechadas. - disse abrindo as. - Eu sempre esqueço de abri-las.
Meu celular estava sem bateria e provavelmente as meninas devem estar loucas atrás de mim principalmente depois do ultimo acontecimento. Ah... Minha vida virou um pesadelo. Acompanhei Damian até a cozinha que me avisou que iria pegar uma blusa. Eu já estou começando a me acostumar desses meninos pelados na minha frente. E o incrível é que eu continuo virgem. Damian devidamente vestido fez torrada na manteiga, colocou mel e geleia sobre a mesa, jarra de suco, café e leiteira quente. Tudo bem farto.
- Damian, porque entrou na escola Sweet Amoris? - será que ele tem algum problema amoroso? Ele corou com a pergunta que eu fiz e respondeu:
- Er... Que eu estou interessado em uma menina de lá. 
- Ah... Que lindo! Você eu entrou naquela escola só por causa dela! - emocionei-me ficando bastante eufórica. Eu ia perguntar quem era, mas resolvi não dá uma de curiosa, já que li sobre o acidente. - Ela deve ser uma garota de sorte. - disse eu com um leve sorriso no rosto, mas com tristeza no olhar.
- Ela não sabe ainda e... Também não percebeu.
- Que! - fiquei surpresa o deixando ainda mais corado. - Você ainda não se declarou a ela!
- É que...- disse tímidamente o deixando tão kawaii. - eu não quero assustada, pois ela foi muito machucada.
Evidente que se fosse uma menina de SA tinha que está machucada mesmo. - E também ... continuou. - Não sei se ela ainda gosta de outra pessoa.
- O que! Você esta gostando de uma menina comprometida? Você é bonito e tem um monde de menina solteira correndo atrás de você! - exclamei por impulso de tão surpesa que fiquei.
- Mas... Essa é especial. - isso me fez chorar. - Eu fiz algo de errado? - indagou surpreso e confuso.
- Não... É ... Que eu sou muito chorona mesmo. Ele se levantou e era muito alto mesmo, até achei que ele não pararia de cresce. Sentou em uma cadeira perto de mim e me abraço curvando aquele tronco enorme.
- Eu protegerei você. - confessou deixando confusa. Eu fingi acreditar, pois esse é o 3 que me dizia isso e eu sempre saia machucada depois. Acabei empurrando meu corpo nos seus peitos  e de cabeça baixa. Ele voltou para o seu lugar do outro lado da mesa comentando: - Serei paciente.
Não entendi o que ele havia dito. Terminei de tomar o café e ele falou contente: - Vamos ir juntos para o colégio. Fomos em silêncio, mas logo avisei que precisava passar no meu apartamento para mudar a roupa. Meu material ficava nos armário. Damian esperou pacientemente, quando eu desci minhas amigas estavam lá   conversando com ele:
- Euphimea de Jesus! - gritou Anny pra mim ao me ver. - Já é a terceira vez que você dorme fora do apartamento! Onde você dormiu?
- Na minha casa. - respondeu Damian.
- Queeeeeee! -exclamou ela e as meninas. Kloster também estava presente. Anny me puxou para o canto e cochichou comigo: - Não me diga que você dormiu com ele também? - perguntou-me fazendo me lembrar do ocorrido com o Ken.
- Não. - disse assustada, mas não alto. - É claro que não. Eu só sou vitima das circunstâncias.
- Sei... "vitima das circunstâncias." - repetiu ele piscando um olho. - Descida com quem você quer ficar.
- Eu não quero ficar com ninguém. - disse e demônios com meu rosto saíram de mim  gargalhando comigo: Há, há, há, há! - assustando minhas amigas até o próprio Damian. - Eu não quero mais saber de namorar! Então pare de ficar falando besteiras. - disse e um demonizinho saiu de mim e envolveu o pescoço de Anny que ficou aterrorizada.  Então sai andando de volta para a escola sem esperar por ninguém. Então eu chego no pátio e vejo a seguinte cena.
Castiel beijando a Debrah! Eu fiquei louca de raiva. Fui andando para minha sala, mas a minha aura estava tão negra, mas tão negra do que o normal que até pararam de beijar.
- O-o que é isso? - gaguejou Castiel e viu eu passando.
- O que foi meu gatinho? - respondeu ela.
- Senti que alguém iria me matar.
- Também senti, mas sabe que pessoas são invejosas.
Sentei na minha cadeira de costume. Cansei de chorar e está na hora de colocar o meu plano em ação. Minha vingança seria, fazer mais sucesso que aqueles dois juntos. Vou ganhar o mundo da música!
HÁ,HÁ,HÁ,HÁ,HÁ,HÁ! - gargalhei tão alto que até a diretora me ouvi e disse:
- Euphimea! Era você gargalhando.
- Sim. -respondi sem medo.
- E o que você está fazendo aqui? Eu não lhe suspendi?  - eu havia me esquecido completamente então peguei minhas coisas e a sai da escola. Minha primeira missão, era mudar de aparência. Cansei de ser a Euphimea boazinha. Quando sai do salão nem me reconheci. Coloquei aplique até o meu cabelo crescer de novo e o pintei de prata.

(Sim vou ser a IA do vocaloid agora)

{ 10 comentários... read them below or Comment }

  1. Uh. Euphi a conquistadora de sweet Amoris.
    Adorei o capítulo. E como sempre estou ansiosa para ler o próximo.
    Bjs até mais.

    ResponderExcluir
  2. Agora eu tenho uma irmã gemêa \õ/
    Medo eterno do demoniozinho da Euphi ówó
    Castiel se sentindo ameaçado kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Morte as vacas velhas \Õ/ muhahahahaha

    ResponderExcluir
  3. Ah que medo...O.O
    A vingança da Euphy será maligna..hahahahaha..
    Adorei o capitulo..*-*
    Esperando ansiosa pelo próximo..
    Kissus~

    #Ichigo Amano..

    ResponderExcluir
  4. Deu medo...O.O
    Amei o capitulo.
    Esperando pro próximo ansiosa.
    Kissus

    ResponderExcluir
  5. WOOOW Euphy nova ta foda KKKK Rí muito.

    ResponderExcluir
  6. HAHAHA agora ela vai dar uma de Kyoko do Skip Beat! Isso aê arrebenta ! UASHUHAUSHUAHSUH Damian gostei de ti! Já até esqueci dos outros.
    Castiel?! Quem é esse?! UASHAUHUSHAUH
    Ameei esperando o próximo cap!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Isso mesmo, aquele amime é engraçado até. Já postei o novo ep. ontem.

      Excluir
  7. meu loveo com o nath ta -100 - isso sim é recorde kkkk
    parabens

    ResponderExcluir
  8. adorei o capitulo...um Kuran Kaname???ja vi k ele é o e me apaixonei,ja so apaixonada por ele do anime,vou me apaixonar de novo...ele é tao Kawaii...
    :)

    ResponderExcluir
  9. È meio skip beat!!! mas gosto do rumo da historia!!! mas euphi como eu faço pra começa uma fanfic? serio me ajuda eu tenho um monte de ideia incrivel mas eu n sei por onde começa.... se me der uma força vc vai ser minha melhor amiga na minha fic.... in clusive com sua personalidade meio tsundere!!

    ResponderExcluir

Por favor não me cobrem quando irei postar.
E por favor respeitem as opiniões e não comentem coisas que podem ser construtivas, pois elas soam como critica.
Obs: Essa ideia é protegida pela lei 9610 de 19/02/1998, qualquer cópia ou rescrição da mesma como plágio, repete a punição conforme consta em lei.
Ou seja, eu sou a criadora, eu sou a única dona.

- Copyright © Amour Glacé - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -