Popular Post

Posted by : Euphimea sexta-feira, 8 de março de 2013


(Esse menino é lindo demais! *w*)
Já nem sei mais o que estou escrevendo, nem o que escrevi  e peço desculpas.
O professor ficou boquiaberta comigo, não somente ele como Damian.
- Yufi, você canta muito bem. - elogiou-me após a aula.
- Obrigada... Ei, como você sabe do meu apelido de infância? - ele abriu um sorriso maroto e respondeu:
- Eu sei sobre você mais do que possa imaginar. - senti um pouco de medo, mas Damian me salvou apesar de tudo. Ele tocou no meu rosto e eu senti meus olhos ficarem úmidos. Se inclinou e me deu um beijo suave.
- Olha Damian eu...
- Shiii, não diga nada. - interrompeu-me colocando dois dedos sobre meus lábios. - A gente se fala amanhã. - se despediu colocando os óculos escuro no rosto e a mochila no ombro direito. Se retirou provocando, gritos e suspiros da mulherada. Eu devo admitir que ele era um cara legal, bonito e... E... O pior é que estava me apaixonando por ele.
-Euphi! - chamaram-me as meninas se tacando em cima de mim em um abraço coletivo. E Anny notou a minha cara de dor:
- O que foi?
- Bem... Eu... Reunião do Clube do Beijo.
- Eba! - exclamaram.
A Reunião do Clube do Beijo, nada mais é que uma reunião para contar alguma novidade.
Já no meu quarto eu confessei que estava gostando do Damian.
- Eu sabia! - exclamou a Anny. - Isso estava escrito na sua cara desde o início.
- Eu acho que você deveria voltar para o Castiel, vocês se combinam tanto. - confessou Aikka.
-O que! Você está maluca? - indaguei muito irritada. - Ele me tratou mau, não acreditou em mim e ainda por cima me discartou feito lixo!
- Veja bem, ele lhe pegou na cama com outro. - insistiu. - Eu sempre perdoo o Nat quando ele se joga em cima de você, afinal vocês viveram algo intenso sabe.
- Aikka, ele acreditou na Debrah, mesmo sabendo que ela não prestava!
- Ela não vai voltar para o cabeça de fósforo!- exclamou Kloster irritada e me defendendo.
- Eu acho que ela deveria ficar com o Damian mesmo. - confessou Jen.
-Vai amiga se joga, ele é bonitão.- aconselhou-me Annya.
- Esse é o problema. - discordei.
- Qual é o problema? - indagou Kelly sem entender.
- De eu me apaixonar e ele me machucar ou me largar.
- Ixi.
- Assim você nunca irá namorar. - falou a Ichigo.
- É eu sei. Eu não queria mesmo.
- Não vem com essa não, queria sim, sua imã de garotos! - exclamou Kloster, mas soou engraçado e nós rimos.
Meu celular tocou e eu o peguei dentro da bolsa, era Nathaniel:
- Oi Nathaniel -senpai. - fiquei sem graça por causa de Aikka e esta corou. - Está procurando a Aikka? Ela está aqui.
- A-aikka... Não estou procurando por ela, quero falar contigo. - disse nervoso indicando que ele corava.
- Ah... Então diga.
- Eu falei com o meu pai e ele quer ouvir você cantar.
- Sério! - exclamei sem acreditar. Anny pediu para colocar no viva-voz.
- Bem... Ele ainda tem esperanças da gente se casar. - eu fiquei sem graça e olhei para Aikka.
- Nat... Você está no viva-voz. - confessei para ele maneirar na hora de falar. Ele ficou mudo quando eu falei isso e disse:
- D-desculpe Aikka, mas você sabe sobre o meu pai...
- Tudo bem Nathaniel. - interrompeu ela. Era incrível como ela o amava. -Eu entendo.
O fato era que o pai de Nathaniel gostava mais de mim do que da Aikka e que se ele fosse casar com alguém teria que ser comigo, por isso que me pediu da outra vez.
-Então como fazemos? - indaguei retomando o assunto.
-Ele alugou uma sala acústica por uma hora e quer que a nossa banda toque pra ele.
-Então está bem. Vou cantar novamente a música da aula de hoje, pois eu a treinei bastante.
-Sim...mas nós temos que ensaiar com os instrumentos e meu pai comprou-me uma bateria novinha.
-Que legal! - exclamou Aikka feliz.
-É... Eu acabei de montar ela na garagem. Já liguei para o pessoal, só falta avisar ao Damian...
-Pode deixar que a Euphi avisa. - falou Anny antes de eu dizer algo.
-Então tchau. Beijo Aikka.
-Outro. - falou ela corada.
-Que lindo é o amor! - exclamou Jen brincando fazendo ela fumegar de vermelha.
- Isso me dá nojo. - discordou Kloster. - Vamos estudar que é bem melhor.
-Anny eu vou te matar! -gritei pulando em cima dela a esganando de brincadeira.
- Há, há. - riu. - Vai liga para ele.
- Está bem. - concordei contrariada.
Sentia-me nervosa enquanto ouviamos o telefone tocar. No 5o. Toque ele atendeu:
- Oi Yufi. - brincou ele e eu fiquei vermelha, as meninas riram. - Tem gente com você?
- Er... Que o celular está no viva-voz.
- Oh cara, foi mal!
Eu não conseguia falar até as meninas pararem de rir.
-Você está sem graça não é ? - indagou Damian.
- Não foi sua culpa. -falei. -Eu liguei para... Será que dá para parar! - elas seguraram o riso mais logo voltaram a rir. -Olha Damian quando essas bobas pararem de rir eu volto a ligar.
-Está bem...
- Paramos. - cortou Anny olhando bem séria para cada uma.
-Er... Damian... O Nathaniel ligou e disse que o pai dele quer nos ouvir, então... Sabe a música que eu cantei hoje?
- Sim, muito boa por sinal.
- Precisamos ensaiá-la.
- Isso não será problema, pois conheço muito bem os acordes.
-Ah... Então tá. - concordei querendo me despedir.
- Quando vamos começar a ensaiar?
- Bem... Não sei, mas acho que Nathaniel quer começar amanhã.
- Certo. Até amanhã.
-Até. - desliguei.
Depois da reunião tomei banho e me arrumei, pois iria passar na casa de Damian. As meninas foram para os seus quartos.
- Vai sair? - indagou Jenna curiosa.
- Vou até a casa do Damian.
- Vai se confessar para ele?
- Não, quero saber como ele sabe do meu apelido. - corei.
- Qual? Yufi? - indagou com um risinho.
- Sim e você deveria sair com o Armin. - irritei-me a provocando.
- E eu vou. Ele quer que eu vá jogar Mario Bros com ele, pois Alexy irá fazer compras com a Kelly.
- Entendi. - peguei a bolsa e sai. Aquilo me incomodava e muito. Logo cheguei e toquei a campainha.
- Euphi? - estranhou e antes de dizer mais alguma coisa eu já  entrara.
- Como você sabe desse meu apelido Damian? O Castiel lhe disse algo?
- Não, ele não me disse nada. - respondeu aborrecido. - Senta e se acalme que irei lhe contar. - também não gostou do meu jeito intepestivo de entrar na sua casa. Sentei, estava irritada e ele disse:
- Não digo nada até você se acalmar.
Respirei profundamente antes que algum demônio saísse de mim.
- Desculpa... Damian. Eu fiquei nervosa por conta de besteira.
- Entendo, mas isso não é besteira. - calou-se por um minuto e continuou: - Deixa eu ver por onde eu começo... Lembra de um vizinho da frente que sempre lhe xingava de cabide com pernas? - eu tentei me lembrar e consegui, pois coisas ruins tenho memória de elefante. Ele sentou na poutrona a minha frente. Eu tinha 6 anos de idade na época.
- Lembro porquê?
- Era eu. - eu fiquei surpresa. E ele continuou confessando. - Depois do disastre eu fui morar com meus tios que tinham 4 filhos, mas quando eu completei 7 anos eles acharam melhor eu ir morar com a minha avó, porque não estavam dando conta de educar - me eu era terrível mesmo aprontava bastante." Épor isso que o Castiel é um peste"- pensei.
- E... Eu também me sentia um pouco excluído. Minha avó morava em um pequeno apartamento, mas essa casa estava a muito tempo sem ser pago as contas e ai nos mudamos para cá, se não o governo iria ficar com a casa. Eu cheguei a estudar na mesma escola que você Euphi. E... Eu lhe vi namorando com o Adam. - quando ele disse esse nome deu me um mal estar. Levantou- se e sentou ao meu lado segurando a minha mão. - E... Desde aquela época eu já gostava de você. (kawaii, T.T sempre quis que isso acontecesse comigo, mas isso que estou escrevendo não acontece, os homens não são muito de dizer seus sentimentos. ) Depois tocou no meu rosto e continuou:
- Um dia eu estava indo fazer compras quando a vi andando na rua de mãos dadas com um rapaz de cabelos verdes.
- Jade. - disse.
- Eu... Não quis me aproximar, pois notei que vocês namoravam. Então esse tal de Jade sumiu e eu fiquei feliz achando que vocês tinham terminado, até lhe ver com o Nathaniel. Mas você mal terminou com ele e começou a namorar o Castiel...
- Ih, isso é uma longa história. - o interrompi fitando o chão.
- Então eu entrei na escola para ficar mais perto de você e quem sabe... Não que eu torcia para isso acontecer, mas vai que vocês terminassem.
Eu não conseguia encará-lo depois dessa revelação. ( Eu escolhi esse nome por achar bonito, mas Damian é a versão inglesa de Damião, que significa: Aquele que acalma. XD) Senti meus olhos úmidos e segurei para não chorar. Ele segurou meu queixo e levantou meu rosto.
- Olha pra mim. - pediu. Eu não consegui, por causa da vergonha, olhei rapidamente e desviei o olhar para a camisa dele. Então beijou-me, devagar e ternamente.  Eu sentia  como se eu tivesse encontrado algo que procurava há muito tempo. Também Damian deixava -me muito avontade. Quando digo avontade é literal mesmo, pois o beijo se tornou quente e acabei  deitando no sofá o trazendo vir para cima de mim. Então de repente ele parou.
- Er... Euphi.
- O quê?
- Não  vou fazer isso.
- Hã? Por que não? - nunca que um menino conseguiu parar, quem parava era eu inclusive Castiel.
- Porque eu lhe conheço o suficiente para saber que você só está me usando.
- Até onde eu sei você concordou em ser usado para fazer ciúmes ao Castiel.- disse levemente aborrecida.
- Eu concordei em lhe ajudar com a sua vingança, mas... Agora são os meus sentimentos que estão em jogo.
- Ah, então os caras têm sentimentos? - indagaguei irritada.
- Olha, eu sei que você sofreu muito, mas com os meus sentimentos você não irá brincar. Eu acabei de me abrir pra você. Eu expus a minha vida que nenhuma garota soube. Você mudou muito Euphi, não é mais aquela menina doce, gentil e engraçada. E também estou sentido falta dos seus cabelos negros. - tocou-os.
- Foi a vida que fez isso comigo. - respondi aborrecida agora.
- Não. Foi você que permitiu que outros fizessem isso com você. E eu não quero que você se machuque mais. - disse tocando no meu rosto.  - E se isso acontecer eu quero que seja perfeito para você. Eu fiquei de cara, ele não existe. Homens assim não existem.
- Eu sei o que você está  pensando. - começou ele.
- O que eu estou pensando? - indaguei o desafiando.
- Se eu advinhar ganho um beijo? - brincou.
- Hum... Então agora você não está mais com raiva. - desconfiei confusa.
- Eu não estava com raiva, apenas lhe ensinando como as coisas funcionam.
- Oh, então o que eu pensei?
- Que homens como eu não existem, eu sei, admita que eu sou perfeito. - brincou.
- Ei! Essa segunda parte não valeu!
- Meu beijo. - pediu mordendo o lábio inferior. Fiquei sem graça, mas mesmo assim o beijei. (Isso já aconteceu comigo de um menino que amei muito e tive a minha primeira vez com ele, conseguia advinhar os meu pensamentos.)
- Você é muito legal sabia. - o elogiei tocando no seu rosto.
- Obrigado, mas... Eu quero que você me ame. - quando ele disse isso, seus olhos ficaram úmidos.
- Só o tempo dira isso.
- Não, só quando você abrir o seu coração.
Eu fiquei sem graça e abaixei a cabeça e levantei decidindo ir embora, mas ele me impediu segurando a minha mão.
- Aonde você vai?
- Embora, eu... Já descobri o que eu queria.
- Está tão cedo... Eu... Queria que você dormisse aqui hoje... Comigo.
- Hã? Mas agora a pouco você disse que não queria. - ele riu da minha confusão.
- Eu disse "dormi" e não"fazer aquilo". - eu ri corada do seu "fazer aquilo" movimentando os dedos fazendo as aspas. Puxou-me e me abraçou encostando a cabeça na minha barriga. - Você tem o sorriso tão bonito.
- Damian... Você... É...
- Bonito? Charmoso? Perfeito?
-Incrível.
- É muito bom ouvir isso de você.
- E também é maduro como o Ly.
- Vai diga mais. - pediu feliz. Mas eu calei- me, pois elogiar  muito um homem é mostrar interesse nele.
- O que foi Euphi-chan? - indagou levantando o rosto.
- Nada não. - menti sem encará-lo.
- Euphi, você está apaixonada por mim, não está? - eu engoli seco. Era incrível como ele me conhecia.  Tirei suas mãos da minha cintura e andei em direção a janela sem virar. - Vou encarar  isso como um sim, pois diz o ditado " quem cala consciente fica." - completou abraçando-me por trás. Era incrível como ele era alto, sua cintura batia no meio das minhas costas.
- Vamos mudar de assunto? - pedi.
- Tudo bem, mas ... Responde minha pergunta. - pediu com a voz doida e encostando o queixo no meu ombro esquerdo.
- Sim. - respondi e a minha voz quase não saiu.
- Obrigado. - agradeceu beijando meu ombro e causando-me um arrepio. - Hum... Um arrepio é? - brincou.
- É... Mas não faça mais esse tipo de coisa. - pedi sem graça.
- Ok, eu paro. - falou suave. - Quer biscoitos com chocolate quente?
- Ah, isso sim eu quero. - respondi em tom de brincadeira. Ele pegou-me pela mão e levou-me até a cozinha, fazendo-me sentar na primeira cadeira. Pegou uma leiteira colocou o leite e ligou o fogão. Eu o observava, parecia uma lagartixa em duas patas era cumprido demais e magro, não muito magro, era como o Armin eu acho. Ah, isso mesmo, era como o Armin, porém duas vezes mais alto e um pouco maior nos ombros.
- Está observando minha altura Euphi? Sou alto demais não?
- Sim. Eu já acho os meninos altos, mas você é a Muralha da China.
- Eita exagerada! - riu e desligou o fogo preparando o chocolate. Então lanchamos e eu corava quando ele me fitava sorrindo. - Você fica tão lidinha corada. - elogiou-me. Agora o meu leve rubro se tornou em um vermelho intenso.
Enquanto eu estava na casa de Damian, Jenna jogava com Armin. Ele deixou ela ser o Mario e ficou com o Luigi. Ela estava na frente e ele brincou, afinal era a sua namorada.
- Só deixei porque sou cavaleiro.
- É bom mesmo, se não ia apanhar. - brincou de volta.
Alexy não podia ser visto com a pilha de compras que fizera com a Kelly. Ela mesma comprou pouca coisa, mas ele gastou praticamente sua mesada todo. (Ainda bem que não gastou o dinheiro alheio e nos faz comprar um conjunto de roupas horríveis. A Chino não tem senso de moda mesmo. u.u)
Já que todo mundo estava com seu namorado, Anny resolveu fazer uma visita para Ly que não estava em casa.
- Para onde ele foi? - indagou para Leigh, que deprimido não esquecia a Rosalia. (Eu ia coloca Rosaly do Crepúsculo  XD)
- Foi para a pracinha se inspirar.
- Obrigada. - a famosa praça que aconteceu meu relacionamento com Castiel. Encostado em uma árvore, Ly e seu fiel bloco de notas, compunha mais outra música e seu rosto não era dos melhores.
- Aconteceu algo meu amor?
- Oi Anny. - forçou um sorriso. - Bem... - suspirou. - Nossa banda ficará sem a letra C.
- Sem a letra C? Você se refere ao Castiel?
- Isso mesmo. Agora ele irá tocar na banda de Debrah.
- Gr... aquela vaca além de tudo roubou o Castiel de você! E ele era o seu amigo!
- Ele pediu desculpas, mas só aceitou depois que descobriu que não tínhamos mais empresário.
- Nossa que traidor!
- Mas ele disse que continuaremos amigos.
- E você aceitou Lys? Está vendo o que aquela idiota está fazendo com as nossas vidas?  E você não quer se vingar?
- Não sou um tipo de pessoa que faz isso. Não quero me rebaixar como ela. - respondeu levemente aborrecido. (Ele não é escorpião. Até falei para a Chino. Onde já se viu o escorpiano não ser vingativo? E até onde eu sei ela não me respondeu. Vou roubar todas as suas fãs, me aguarde. u.ú Aliás já estou roubando. :p)
 Anny forçou um sorriso, mas por dentro ela estava louca da vida. Sentido muita raiva.
Minha irmã agora mais tranquilo depois do casamento ainda não havia me visto e Damian, queria porque queria que eu o apresentasse como novo namorado. Fomos na loja de chocolate que ela trabalhava e estava arrumando os chocolates que as crianças derrubaram.
- Oi mana. - falei.
- Olá Euphi. - respondeu sem me olhar, mas quando finalmente viu-me levou um susto atirando as caixas para o alto e Damian as apanhou antes que caíssem no chão.
- Que exagero de reação. - comentei.
- O-o que você fez com o seu cabelo?
- Pintei de prata. Sou uma popstar agora. - respondi jogando o cabelo para trás em um imitar da Ambre, ultimamente venho fazendo isso.
- Er... claro maninha, mas não está radical? Tipo meio roqueira.
- E é isso que eu quero. - respondi.
- O que a trás aqui? A loja está quase fechando.
- Vim lhe apresentar o Damian.
- Ah, o seu novo namorado. - e isso não foi uma pergunta era como se ela soubesse disso.
- Hã? Você já sabia?- ela corou sem graça olhando para ele e indagou:
- Posso contar para ela?
- Pode. - respondeu sorrindo.
- Bem... digamos que ele veio aqui e pediu umas dicas sobre você, afinal há muito tempo que não se falavam e ele queria como você estava.
- O que? Minha própria irmã! Entregou minha ficha todinha para ele.
- Olha, eu sempre soube que você não ia dar certo com o Castiel. - aquela revelação me assustou. - Ele era um grande irresponsável, imaturo...
- Fale o que você realmente quer dizer.
- Um completo imbecil. E eu achei que você merecia algo melhor. Então um dia o Damian entrou na loja, eu nem acreditei quando ele me falou. Há, há, ele sempre foi apaixonado por você desde pequeno, eu me lembro disso como se fosse ontem. - confessou o deixando levemente corado.
- Então você planejou tudo e fez ele me conquistar é isso?  Disse todas as coisas que eu gostava e tudo mais? - comecei a me irritar.
- Longe de mim! Só disse o que aconteceu contigo no período de Adam até o namoro conturbado de Nathaniel, o relâmpago com o Jade e o recém namoro com Castiel, que aliás era visível os laços frouxos.
- Grr... isso é inacreditável Elisa! Sua, sua traidora! - gritei e sai furiosa batendo os pés indo em direção ao meu apartamento.
- Euphi, Euphi, espere. - pediu Damian correndo e me segurando pelo meu braço. Virei-me ferozmente e gritei:
- Solte-me agora e não me toque, seu... seu caçador de mulheres! - ele soltou-me e se colocou na minha frente para impedi-me de passar.
- Pode me ouvir só por um minuto?
- Fale e espero que tenho uma boa desculpas pelo o que acabei de ouvir! - exclamei cruzando os braços.
- Olha... eu e sua irmão não tramamos nada. Eu... eu pedi informações de sua personalidade, pois... fazem 10 anos que apenas a observo de longe e então não sabia como você era, ou quem você tinha se tornado. Só foi apenas isso.
- E você acha que eu vou acreditar nisso?
- Ai o problema é seu. - deu de ombros. Logo Elisa veio correndo depois que fechou a loja e chamou-me:
- Euphi?
- Não falo mais com você sua traidora. - disse de braços cruzados e dando-lhe as costas.
- Deixa de ser criança, Euphi. - pediu. Continuei calada, sem dá o braço a torcer. - Só contei porque achei que você não iria reagir assim.
- Eu também. - concordou Damian.
- Eu disse e repito, Damian só queria saber de sua personalidade. Eu juro que não disse nada de como lhe conquistar ou suas coisas favoritas. E você sabe que nunca gostei do Castiel desde o primeiro momento que o vi.
- Foi por causa das brincadeiras dele?
- Não. Eu tenho 18 anos e entendo esse tipo de brincadeira. Porque ele é um cara muito inseguro e foi por isso que ele lhe chutou.
- Poxa, valeu por jogar na minha cara!
- Mas é verdade. Se eu fosse você eu preferiria ficar mil vezes com o Jade ou com o Nathaniel.
- Viu não lhe disse?
- Cala boca Chantilly! - exclamei ignorando o que o Damian iria dizer de mim.
- Chantilly? Quem é Chantilly? - indagou ele.
- É a fada dela. - respondeu Elisa.
- Fada? Ah sei, aquela que lhe ensina e depois vai embora depois que você completa 18 anos.
- Jade tem 18 anos e Cream ainda não foi embora. - justifiquei.
- Agora foi. - confessou Chantilly.
- Como assim agora foi?
- Ele tinha que aprender mais uma coisinha antes de ir embora.
- E você me forçou a ficar com ele!
- Não forcei coisa nenhuma! Você o amava! Só achava que ele era melhor para você do que o Nathaniel-chan e o Castiel-chan!
- Euphi, será que dá para parar de falar com a sua fada e me dar ouvidos?! - irritou-se Elisa. Continuei de costas.
- Então fala.
- Olha pra mim Euphi. - pediu ela.
- Eu escuto com os ouvido.
- Grr... sua mal criada estou perdendo a paciência com você!
- Espere Elisa. - pediu Damian. Ele parecia saber o que estava fazendo. - Er... Yufi? - quando ele me chamava assim amolecia-me de tal jeito, mas eu teimei ainda de costas. - Eu lhe peço perdão de joelhos se você quiser. - começou aproximando-se e senti ele se ajoelhar atrás de mim.
- Que patético. - bufou Elisa em um suspiro. Damian a ignorou e continuou implorando.
- Se você não me perdoar eu irei entender, mas pelo menos olhe para mim pela última vez? - ele era incrivelmente esperto quando assunto era emoções femininas e conseguiu me persuadir a virar. Seu rosto era de dor, seus olhos úmidos e suplicantes como um cão sem dono, ajoelhado o deixava quase da minha altura, porém um pouco mais baixo. Ele também era bom com o olhar, pois conseguiu me deixar com um incrível sentimento de culpa.
- Você deveria ser ator. - comecei. - Aarr, vai. - bufei. - Eu perdoo vocês. - concordei. Até a minha irmã ficou de cara.
- Nossa! Que poder de persuasão você tem!
Ele se levantou e me abraçou, ele sabia lidar muito bem com emoções femininas, mas não fazia para me manipular ou coisa assim, pois se ele tentasse eu o abandonaria imediatamente e também... não é qualquer um que consegue agradar minha irmã. Se Elisa aprova é porque ele é uma boa pessoa e que realmente me ama de verdade. Não custava nada dar uma chance para ele.
- Desculpe maninha. - pedi sem graça se aproximando dela.
- Ai Euphi, sua bobinha. - e me abraçou. - Agora vou volta pra chegar se fechei direito a loja se não a gerente me mata. - com isso correu.
- Vamos? - chamou ele segurando a minha mão e voltamos para a sua casa.
Quando fomos dormir, depois de eu ter tomado banho e ele emprestou-me sua blusa que mais parecia um vestido em mim. Assim que eu quase pegara no sono ouvi ele sussurrando:
- Você é apenas minha, Yufi. - eu abri um sorriso e disse um pouco maliciosa.
- Estou pronta quando quiser. - ele riu atrás de mim e falou no meu ouvido, pois senti ar quente nele.
- Não agora, só quando você me amar por completo.
O fato era, que da mesma forma que meu corpo pedia Castiel, ele também pedia Damian, mas ao mesmo tempo tinha medo. Então curiosa virei-me de frente para ele e preguntei:
- O que está faltando?
- Confiança. - eu fiquei sem graça e fechei os meus olhos para dormir, logo abri eles ao sentir um selinho em meus lábios. Conseguiu arrancar um sorriso meu. Dormimos e no dia seguinte meu celular toca. Era a Jennah:
- Euphy? Já são 7:30 você está atrasada!
- O quê! - gritei sentando bruscamente fazendo Damian acordar.
- O que foi?
- São 7:30! - respondi com ainda com a Jenna na linha.
- O quê? - ele pegou o seu relógio de pulso e viu que era isso mesmo.
- Jenna, já estou chegando. - falei querendo desligar e ela falou:
- Tem uma coisa meio chata acontecendo.
- É? Quando eu chegar você me conta. - com isso desliguei. Devolvi a blusa para ele assim que sai do banheiro, trocando pela minha roupa. Ele calçava o tênis.
- Deixe sobre a cama mesmo.
- Tá. - concordei colocando o celular na bolsa e calçando minhas sandálias. Tomou-me pela mão e saímos apressados. Minha barriga começou a roncar e eu ia passar na cantina para descolar pelo menos um pão de queijo grande. Assim que entramos Jê nos esperava ao lado de Armin, todo empolgado com o jogo.
- Uh! Morri de novo! O que está havendo com essa droga desse console? Acho que eu vou comprar outro, essa droga deve está com defeito!
- Oi Jenna!
- Oi Euphy! - forçou um sorriso e foi me puxando até a Peggy.
- Olá Euphimea. Veio adquirir o seu exemplar?
- O quê você escreveu ai?
- Matérias quentes nada mais que isso. - arranquei o jornal de sua mão e quase cai para trás.
- " Euphimea está com um novo namorado, quanto tempo esse irá dura? Façam suas apostas." - havia uma foto minha de costas para Damian e ele de joelhos. Minha irmã fora cortada.
- Você está de sacanagem, não é?
- Claro que não. Um dollar por favor.
- Não vou pagar!
- Ok. - pegou um bloco e anotou meu nome como devedora.
- Toma. - bufei quase enfiando o dinheiro na sua cara.
- Obrigada. Vou para a minha faculdade, divirta-se.
- Gr... eu odeio essa sardenta! - bufei. Comecei a ler a sua matéria:
" Euphy pega-geral" - O quê! Quem ela pensa que é essa vira-lata! - "A vitima da vez é o lindíssimo rapaz do 3º ano chamado Damian. Os flagrei na noite passada juntos. Ele pedia perdão de algo que fez a ela e está resolveu perdoá-lo depois de muito insistência  Depois ambos foram de mãos dadas para a casa dele. A pergunta é: Quanto tempo isso irá durar? Eu aposto 4 meses e vocês?"
Eu fiquei louca da vida e bufando aproximei-me de Damian entregando o exemplar para ele que estava grudado em Armin vendo o jogo.
- Damian!
- Hã? Oi Euphy!
- Olha o que está escrito aqui. - ele leu e me devolveu como se não importasse e continuou vendo o jogo de Armin. - Damian? Você não vai dizer nada?
- Eu não me preocupo com esse tipo de infantilidade e acho que você também não deveria se preocupar.
Tentei ignorar, mas a escola inteira na hora do intervalo faziam aqueles comentários típicos. " Outro que ela traça." Ou" Não se preocupe logo eles terminam, foi assim com Nathaniel, Jade, Castiel." Ou " Ela é igual a farinha de feira e saco de arroz de casamento, todo mundo passa a mão.
Eu fiquei na minha, pois já estava em detenção. Pelo menos a Ambre não estava mais na escola. Deve está colocando o terror na faculdade. O pior é que as meninas davam em cima de Damian discaradamente. Eu tentei não me importar, porém senti uma pontinha de ciúmes. Por outro lado sempre uma menina vinha me perguntar como eu consigo namorar tantos rapazes bonitos. Megurina foi uma delas, eu não sabia o que responder, apenas para disse que eu deixava os rapazes livre, não cobrava muito deles.
- Está interessada em alguém perguntei. - ela corou e mentiu que não era ninguém.
Depois das aulas eu fui para o clube de jardinagem, pois Chantilly me disse que estava abandonado e quando cheguei lá a diretora me chamou dizendo que estava de castigo.
- Mas minha detenção é daqui a uma hora!
- Sem mais dona Euphy! - acho que ela me odeia por causa do lance do piso só pode!
- Euphy? - alguém me chamou e a voz eu reconheci de imediato. Ao virar-me para o jardim vi Jade cuidando do clube.
- J-jade-senpai! O que está fazendo aqui?  E a faculdade?
- Hoje o professor faltou e eu vim aqui cuidar das plantas a pedido da diretora, por quê?
- É que eu fiquei surpresa.
- E eu não lhe reconheci. Não sabia que Castiel fez tanto a sua cabeça para você muda o seu estilo, ele deveria lhe amar do jeito que era como eu. - quando ele disse isso estremeci.
- Bem... na verdade... a ... gente... terminou. - eu estava doida para sair dali antes que a diretora voltasse e brigasse comigo de novo. Jade ficou surpreso e sorridente, aproximou-se de mim indagando:
- Então você está livre é? Eu sabia que logo iria cansar daquele grosso e é por isso que lhe perdoo de todas as coisas horríveis que você me disse naquele dia. - ele ia tocar em meu rosto e eu dei um passo para trás.
- Er... eu... tenho que ir agora... - dei-lhe as costas, mas ele me segurou pelo braço fazendo-me virar abruptamente.
- Foge não Euphy. - pediu com uma voz de dar pena e segurou no meu queixo com o polegar e o indicador, aproximando-se lentamente. Ele iria me beija, eu tenho certeza, pois senti sua respiração bater em meus lábios quando...
- Euphimea? - indagou Damian atrás há 5 metros atrás de mim. Virei o rosto no mesmo instante para olhá-lo.
- Sim, Damian.
- Nathaniel pediu para lhe avisar que o nosso ensaio será depois da sua punição na garagem dele. - veio comentando isso e parou perto de mim. Jade foi ignorado completamente atrás de mim.
- Está bem. - concordei com um sorriso amarelo e o coração a mil.
- Então combinado Yufi. - sorriu, olhando-me apaixonado e seguiu para a sala de representantes. Senti uma aura  de tristeza atrás de mim. Virei-me e Jade segurava para não chorar.
- Jade. Não fica assim vai. - pedi com pena. - Você vai encontrar uma moça melhor do que eu. Você não me merece, eu sou muita complicada. - e o abracei.
- É que dói sabe. - (T.T ai que triste. Eu não ia colocar isso na fic, mas não sei o que aconteceu. Não estava nos meus planos!)
- Desculpe. - pedi quase chorando junto. Ele me puxou para dentro da estufa. - J-jade... e-eu estou de castigo... se não for para a sala de detenção agora estou frita! - e ele me ouviu? Não, não ouviu. Na estufa abraçou-me com mais força ainda enquanto dizia: - " Eu te amo Euphy, eu sempre vou lhe amar." ( coloquei entre aspas, pois foi tirado da fala do Imperador Hotohori do mangá Fushigi Yuugi) - não correspondi, pois no momento não amava ninguém, nem o Damian. O que eu sentia por ele era de está perto, sentir sua presença, sua pele, seu cheiro até os beijos. Fora isso, não sentia nada.
- Euphimea! Onde você está! - era a diretora gritando parecendo uma arara descontrolada. - Se você não aparecer na sala de detenção em 10 minutos, irá levar outra advertência.
Acabei empurrando levemente Jade no peito o olhando em pânico.  
- Vai lá. - disse com voz chorosa e eu enxuguei uma lágrima que escapara em seu olho esquerdo. Jade tomou minha mão e deu um beijo nas costas dela. Fui me distanciando e ele olhou-me com olhos pedintes e eu parei voltando.
- O que foi Jade? - (eu tenho um dom para ler pensamento de homem. u.u)
- Eu... não sei se posso, seria atrevimento meu... você está namorando agora.
- Você quer me dar um beijo, não é isso? - ele corou, muito sem graça e assentiu com a cabeça. - Está bem. - concordei com a voz mais doce. Fechei os olhos esperando. Senti ele tirar o cap, tocar em meu rosto do lado direito e inclinar. Seu beijo foi lendo, doce e triste, muito triste. Nunca beijei alguém com esse sentimento antes. Era uma despedida.
- Agora vai Euphi. Não quero que se ferre por minha causa.
- Certo. Fique bem Jade-senpai...
- Por favor, diga Jade-kun pela última vez.
- Certo... Jade-kun. - falei com um leve sorriso no rosto e também com vontade de chorar. - Tchau. - despedi levantando a mão.
- Tchau. - correspondeu fazendo o mesmo. Assim que eu sai da estufa quase que bato a misteriosa Kushynna que timidamente disse:
- Er... me falaram para ajudar no clube de jardinagem.
- Ah! Entre por favor, sou Jade o responsável.  - parei e olhei para ela.
- Só espero que ela seja gentil, meiga e carinhosa com ele. - disse para mim mesma. Logo pus-me a correr para a sala de detenção. Abri a porta e o professor Faraize não havia chegado. Porém levei um susto tão grande, mas tão grande que pensei que meu coração iria saltar pela boca. Seus pés estavam sobre a mesa, seu cabelo vermelho caído sobre o rosto balançando levemente para cima e para baixo e suas mãos dedilhando uma guitarra invisível. Castiel ouvia o seu mp3 na última cadeira no canto da sala perto da parede. Eu queria fugir dali correndo, mas não podia. Lenta-me sentei na primeira cadeira perto da porta e me encolhi para que ele não me visse.
- Ai meu Deus o que ele está fazendo aqui? - indaguei a mim mesmo em pânico. Abaixei o rosto sobre os braços como se eu fosse dormir na tentativa de me esconder.
- Fala Euphi! - eu dei um salto quase no teto dele me chamando perto do meu ouvido. Eu nem senti ele se aproximar.
- Que susto Castiel!
- Hunf, também não é para exagera! - reclamou amarrando a cara e sentando na mesa atrás de si cruzando os braços e as pernas.
- Deixe-me  e volta para o seu lugar. - pedi colocando as mãos no rosto.
- Não estou afim. Se eu me desloquei até aqui, para lá é que eu não volto.
- O que você quer? - indaguei ainda na mesma posição.
- O quê? Não entendi nada. Tira essa mão do rosto para falar melhor, parece que está dentro de uma lata.
- O que você quer? - rosnei sem encará-lo e me segurando para os demônios não saíssem.
- Nada de mais, bater um lero contigo, não posso? A detenção é só daqui a uma hora. Aquela velha chata me enfiou aqui mais cedo. Contigo também pelo visto.
- O que foi que você fez para está aqui?
- Eu? Nada. - apertei os olhos e ele disse contrariado: - Foi o Charlie que caiu na minha mão.
- Sei... foi "ele" que caiu na sua mão. O que ele fez?
- Disse que minha namorada está dando encima do professor de música.
- E você não acreditou nele provavelmente.
- É claro que não! - gritou como se eu fosse ele.
- Você não vê! - exclamei de volta me levantando indignada. - Ele está destruindo a nossas vidas! Afastando-lhe das pessoas que você ama! Nunca mais vi você com o Ly!
- O Lysandre disse que entendeu eu sair da banda e ter minha carreira com a Debrah, fazemos um bom dueto.
- Eu não acredito no que estou vindo! Essa menina é egoísta  ela só quer lhe usar!
- Há, não faz-me rir. Você está com ciúmes deu não está mais contigo. Até fiz bem, pois você é uma pega-geral e eu nem sabia... - PAH! - foi o tapa que eu dei em seu rosto.
- Nunca mais me dirija a palavra...seu... seu idiota! - gritei com lágrimas nos olhos e saindo apressada dando uma trombada no professor. Ele notou que eu chorava e perguntou ao Castiel o que houve. Só tive tempo de ouvir isso e correr disparada para o vestiário, passando pelo ginásio onde Damian fazia arremessos.
- Aquele idiota... ele ainda vai me pagar... eu irei acabar com a sua vida ah se vou. - eu estava tremendo de raiva com os olhos queimando e andando pelo vestiário de um lado ao outro igual a uma barata tonta.
- Euphi? - chamou Damian aparecendo. Eu não o ouvi, ainda andando de um lado a outro e os demônios pareciam bolinha de borracha daquelas que quicam alucinadas quando são jogadas e quando bate em alguma superfície quicam ainda mais. - Euphi, calma. - disse Damian segurando-me pelo braço e virando-me para ele. Olhei para ele, mas eles o atravessavam. Eu não estava ali. Com isso Damian abraçou-me para me acalmar. - Calma minha linda. Pronto, bastou isso para eu chorar horrores. Damian sabia que eu estava assim por causa de Castiel.
Depois, já mais calma, ele pediu para contar. Eu não queria, mas o fiz.
- Euphi... você ainda gosta dele, não gosta? - indagou já sabendo a resposta. Eu gargalhei ironicamente pelo absurdo que ele havia falado. - Euphi... pare... Euphi... - pediu segurando-me firmemente nos braços. Eu recusei-me a olhá-lo. - Poxa. - ficou chateado. - O que esse cara fez contigo, meu amor? - e abraçou-me de novo. Eu não estava ali, só o corpo. Minha mente continuava em Castiel e como eu iria destruir a sua vida. Damian pegou o celular e ligou para o Nathaniel dizendo que eu não estava bem para adiar o ensaio e ele tendeu meio frustado com medo do pai. - Ele irá entender. - encorajou-o.
Damian pegou-me pela mão e levou-me para a casa dele. Eu não me importei com mais nada a minha volta e ele estava desesperado. Colocou-me sentada em sua cama e tirou a blusa. Isso surtiu efeito imediato e eu voltei de meus devaneios torturantes da Idade Media. Pensava qual era a melhor maneira de o torturar. Damian se ajoelhou diante de mim e tocou em minhas pernas perguntando:
- Até onde você já foi com um homem?
- Nunca fui. - respondi. - Nunca fui tocada, se você quer saber. Nunca cheguei a ir com alguém. Castiel tentou várias vezes, mas eu não tinha segurança nele, era como se algo dentro de mim dizia que não valeria a pena se eu fizesse.
- E comigo? Você ache que fale a pena? Ou você tem medo?
- Não... - minha voz quase não saiu. - Com você eu acho que vale a pena. Eu só não lhe dei o amor que você precisa por medo. Mas... se você gosta de mim a tanto tempo... desde que somos crianças. - ele sussurrou no meu ouvido algo que lembro e que nem minha irmã sabia. Do dia em que Adam me levou a força para a casa dele e eu nem sei como consegui fugir de lá. E nem como continuei saindo com ele depois. Ele se mostrou tão arrependido, sei lá, acho que fui enganada. Damian me viu pulando a janela do primeiro andar e pisar de mal jeito torcendo o pé. Minha irmã pensou que foi porque eu subi em uma árvore. Então aquilo levou-me a crê que tudo o que Damian sabia sobre mim, era porque sempre nossos destinos se cruzavam e eu nunca enxerguei isso.
- E então... você quer ser apenas minha agora? - eu não pensei duas vezes.
- Eu quero. - saiu em um sussurro. Então ele me beijou emburrando-me lentamente com o peso do corpo para a sua cama. Depois se afastou pegando o meu pequeno corpo o acomodando em uma forma mais confortável no meio da cama.
- Está com medo? - sussurrou de novo perto do meu rosto.

- Um pouco. - respondi sentido meu coração aos pulos.
- Se quiser parar, paramos agora. - disse de quatro ainda por cima de mim. Pensei um pouco. E minha resposta foi:
- Não. Eu... eu quero lhe amar Damian. - confessei o fazendo se emocionar e ficar com os olhos úmidos.
- Ok. - concordou com um leve rubro no rosto para a minha surpresa. Eu achei que ele não era de corar, mas corou dando um sorriso torto. Então beijou-me de novo, pegando minha mão e colocando em suas costas. O cheiro dele era muito bom. Enfiou as mãos por baixo das minhas costas e eu o ajudei levantando o tronco apoiando sobre os cotovelos. Ele não parava de me encara. As poucos foi levantando a minha blusa até retirá-la toda. Sentei o fazendo ficar sobre os calcanhares, tirando o meu sutiã, pois seu que os homens tem dificuldades com isso. Olhou-me, fazendo-me corar e sussurrou:
- Você é linda. (é nisso que dá ficar ouvido a banda favorita do Ly com letras quentes e ainda em francês. :3)
Pegou minha mão e a colocou em seu cinto indicando para eu abri-lo e eu o fiz. Também abri a sua calça jeans esverdeada. Damian a despiu rapidamente. Vi a sua boxer preta já com um volume saliente, goli em seco. Eu precisava esquecer Castiel, mas não queria usar Damian. E ao mesmo tempo eu o desejava amá-lo e talvez aquilo seria uma solução para que os homens parece de me persegui. Damian... seu lado primitivo, me dizia que queria marcar o território onde nenhum outro homem jamais foi. E eu estava de acordo com isso. Damian se curvou fazendo-me deitar na cama de novo.
- Ainda dá tempo de desistir. - insistiu ele preocupado e receoso. (Ah... se homem assim existisse... eles nem raciocinam nessa hora.) - minha resposta foi um beijo entrelaçado minhas mãos em sua nuca o puxando para baixo. Seu rosto encostou entre os meus seios e ele começou a beijá-lo fazendo-me arrepiar com isso. Ao mesmo tempo apertava minha coxa por baixo da minha saia de pregas. Depois beijou-me nos lábios enquanto procurava o ziper para tirá-la e eu o ajudei encontrando e puxando para baixo. A puxou de uma vez e olhou para minha calcinha rosa lisa. - Desce mais o corpo. - pediu e eu deslisei para baixo. Devido a diferença de altura eu encarei os seus peitos. E acabei rindo. - O que foi? - indagou sem graça.
- É que eu sou muito pequena pra você.
- Ah... depois a gente tenta outra posição... pois... assim é mais fácil quando é a primeira vez. - e esticou o braço até o criado mudo, abrindo a gaveta para colocar a camisinha. Ver o que eu vi deu vontade de desistir na hora. Mas ao mesmo tempo criei coragem para ficar. Voltou a ficar por cima de mim de novo e eu engoli em seco novamente fechando os olhos. - Vai doer um pouco. - sussurrou no meu ouvido.
- Tá. -concordei nervosa e corada esperando ainda de olhos fechados. Senti suas mãos lentamente puxar a minha calcinha. Um lado meu dizia para parar e o outro dizia para continuar. Dobrei um pouco as pernas para ajudá-lo a tirar. Ai meu Deus, é agora. Meu coração pulava alucinado parecia que iria sair pela minha boca. Minha pernas começaram a tremer. Então ele me beijou devagar com as mãos em meus joelhos afastando-os lentamente. Ele encolheu o corpo ficando bem corcunda para que sua cabeça não ultrapassasse a minha. Era bem quente e bom. Doeu? Sim... mas era suportável e o que eu mais gostei é que ele foi todo cuidadoso comigo. Eu ainda via sentimento de culpa em seus olhos então eu disse: - Eu te amo Damian. - sua resposta foi um sorriso. (Isso não é hentai!ÓwÓ tem um shoujo que acontece Kyou-koi-wo-hajimemasu, você tem que deixar de viver no mundo da fantasia para encarar a realidade. u.ú) (Nem escrevi os detálhes preservando vocês.)
Depois eu já deitava sobre seu peito e ele com o braço esquerdo envolta de mim. Não fiquei arrependida nem nada. Levantei a cabeça e o observei.
- Está feliz? - ele riu, fitou mais um pouco o teto e disse:
- Muito... eu... só espero que você esteja também.
- Eu estou. - falei sem muita empolgação. - Quero lhe amar Damian. - completei. Ele sabia que ainda era cedo para isso, mas... de alguma forma eu tentei.
- Essa foi a maior prova de amor que você pode me dar Euphi. - disse ainda radiante mordendo o punho.
- Obrigada. - agora ele olhou-me confuso. -Por tudo que você me fez desde que a gente ficou junto. Bem... se passaram só três dias, mas... é como se eu já o namorasse desde nossa infância.
- Eu também sinto isso. - e me beijou. - Agora você é definitivamente minha, Yufi. - eu ri.
Ele me deixava a vontade. Antes ele se recusava a isso, mas agora o quadro mudou. O fato de me ver chorando o fez pirar de verdade. Então eu perguntei acariciando seu peito.
- Er... Damian? Até ontem você se recusou a fazer isso... o que o fez mudar de ideia. - ele fez breve silencio e respondeu:
- Bem... você estava transtornada com relação ao Castiel. E fiquei maluco com isso de você ainda gostar dele. Então eu pensei: - " Eu quero que ela seja apenas minha, mas como? Euphi precisa esquecer esse cara ou qualquer outro que a fez sobre. Preciso ir onde nenhum deles foi". Então eu tomei essa decisão. Só temi de você não aceitar, mas eu tinha quase certeza que iria, pois insistiu muito ontem.
- Foi perfeito pra mim. - eu disse, para agradá-lo voltando a abraçá-lo, ignorando a dor da primeira vez e o fato de não sentir muito prazer por conta disso. Eu já ouvi minha irmã dizer que é super normal. Mas gostei de ser uma só carne com ele.
- Você ainda quer continuar com a sua vingança? - levantei a cabeça de novo e seus olhos estavam úmidos, por se emocionar com o que eu cabei de falar.
- Vou. - ele fechou a cara sentando abruptamente. Antes que falasse alguma coisa eu tampei sua boca com os meus dedos. - Calma Damian. O que eu quero mostrar a ele e a Debrah do que eu sou capaz me tornando uma popstar, entendeu?
- Entendi. Você quer humilhá-los ou algo do tipo.
- Isso mesmo.
- Só queria que acabasse com essa fissura Euphi. Isso não te leva nada. - sente uma pontinha de ciúmes e insegurança. Segurei o seu rosto fazendo ele me olhar nos olhos.
- Damian? Eu estou aqui não estou? Não acabei de me entregar pra você? Não precisa de medo de nada. - ele me abraçou forte. Encostei minha cabeça em seu peito aninhando-me em seus braços. Ficamos juntos naquela tarde e noite. Tomamos banho juntos também. Era uma experiencia única que nunca tive. Poder está tão próxima e intima de um garoto... de um homem que moveu céus e montanhas para me encontrar.
 





       
 







{ 21 comentários... read them below or Comment }

  1. Que lindo Euphi *-* To me apaixonando pelo Damian D: Seus personagens são tão cativantes *u*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minhas personagens tem algo que os da chino não tem... XD
      personalidade. u.ú

      Excluir
  2. Ai como eu amo isso eupy so apaixonada por essa fic tomara que continue.
    Vamo fazer uma parceiria?

    ResponderExcluir
  3. Que perfeito! Fico muito feliz em saber que voce continua atualizando o blog! Parabéns, melhora a cada capitulo!

    ResponderExcluir
  4. Ehhhhh ep novo õ/

    Isso mesmo marida vocè tem que humilhar aquela vaca corcunda da Debrah e o corno mór do Castiel U.U

    ResponderExcluir
  5. só fico imaginado se essa fic fosse Yuri mais mesmo assim eu fico bem exitada as vezes eu tiro porque fico com vergonha de ler depois eu boto de novo e depois tiro de novo esse tipo de fic me deixa bastante exitada isso é porque na vida real eu sou muito timida e sou muito ruim em me fazer amigos e comunicar na verdade eu não me comunicar com os outros e do muito trabalho é por isso que meus pais (avós) vão me botar em uma escola interna esse é o motivo da minha reação ao ler sua fic espero que o capitulo 31 não demore ^^'

    このFICは、それがあるので、時々私は私が元に戻してから、再度FICのこの種を撃った後に読むことを恥ずかしいので撃たれたトマトは、私は非常に赤くなるように私はまだ非常に赤いよもっとユーリた場合、私は思ったんだけど実際の生活の中で私は非常に恥ずかしがり屋だと私は本当に友達を作ると私はお互いに通信することはありません真実を伝えるのが苦手、私の両親(祖父母)が理由である全寮制の学校に私を置く理由はハードワークだ第31章あなたのFICの希望を読んで私の反応が^ ^'がかかることはありません

    我只是想知道,如果这FIC的Yuri我还是很红的像一个西红柿拍摄,因为有时我不好意思地阅读后,我放回去,然后再次出手这种FIC让我很红,因为它是在现实生活中我很害羞,广交朋友,沟通实话,我不互相沟通和辛勤工作,这就是为什么我的父母(祖父母),我在一所寄宿学校的原因是,我真的很糟糕读你的FIC希望我的反应,当第31章将不会^ ^“

    ResponderExcluir
  6. Parabéns!!! Você continua sendo aquela escritora linda e maravilhosa de sempre! Obrigada pela participação na fic! \o/

    ResponderExcluir
  7. Nossa ficou muuuiiiitooo bom!!!
    Kkkkk eu estou com problemas p descrever beijos... Imagina "isso" rsrsrs.
    Eu tento deixar minha historia mais romântica, mas ela só fica mais de terror :|

    ResponderExcluir
  8. Eu finalmente consegui comentar. u.u
    Bem,o Castiel vai ter o que merece.E eu estou esperando para ver o que você vai fazer com ele e.e

    ResponderExcluir
  9. faz isso com o Castiel lindjo nao !
    Se bem que ele merece! :p

    Qual é sua pag no face?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Euphimea.
      https://www.facebook.com/Euphimea

      Excluir
  10. Nossa como ficou perfeita amei todos o cap q eu li. Uma pergunta
    Ela vai voltar com Castiel? amo eles como casal queria q a primeira vez dela fosse com ele ^^ mas não estou te criticando adorei perfeito a fic bjs ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já disse que não gosto mais do Castiel, eu amo o Lys-fofo agora. u.u
      Só não posso ficar com ele na fic por causa da Anny, já fiz isso com a Jennah e ainda bem que hoje em dia ela ama é o Armin. ^^

      Excluir
  11. Volta com o Cast -kun*-*
    SHUAHSUA'
    Curiosa pelo proximo capitulo !
    Armin ou Castiel?! *-* Lindjos

    ResponderExcluir
  12. adorei vou acompanhar ate o fim

    ResponderExcluir
  13. little mix-boy tradução
    oução a musica e entenderão falo

    ResponderExcluir
  14. aaaaaah queria os detalhees Euphimea UHEUHEWUHEHUE :c mas to amando e Parabens <333333

    ResponderExcluir

Por favor não me cobrem quando irei postar.
E por favor respeitem as opiniões e não comentem coisas que podem ser construtivas, pois elas soam como critica.
Obs: Essa ideia é protegida pela lei 9610 de 19/02/1998, qualquer cópia ou rescrição da mesma como plágio, repete a punição conforme consta em lei.
Ou seja, eu sou a criadora, eu sou a única dona.

- Copyright © Amour Glacé - Date A Live - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -